'Que os seus sonhos te levem cada vez mais longe.' Dorminhoco.com

Como a meditação pode ajudar a dormir melhor?

Milhares de pessoas encaram uma rotina agitada. Tamanha inquietação começa desde o engarrafamento a caminho do trabalho até o fim do expediente, onde sentem o impacto do cansaço físico e mental. Pior ainda é o efeito negativo a longo, médio ou curto prazo: depressão, sobrepeso, queda de cabelo, sudorese, ansiedade... e por fim a temida insônia, que sempre traz à tona uma carga de pensamentos negativos.

Mas hoje, nesse artigo, não desejamos ressaltar as cobranças do dia a dia. Na verdade, falaremos sobre a meditação, pontuando como isso pode beneficiar seu sono e saúde. Também mostraremos qual é a diferença entre estar dormindo e meditando, apresentando-lhe técnicas que possibilitarão realizar essa arte milenar em casa. Um estilo de vida mais “zen” espera por você. Boa leitura!

1. Como a meditação pode ajudar a dormir melhor?

1.1 - Meditar fortalece a parte do cérebro responsável pelo sono

Para que possamos obter um sono profundo e de qualidade, não devemos abrir mão de costumes indispensáveis, como dormir oito horas por dia e, em relação às etapas do sono, aproveitar suficientemente a fase REM (Rapid Eye Movement). Isto irá lhe proporcionar melhor saúde física, mental e emocional. Do contrário, a fadiga e outros efeitos danosos arruinarão suas atividades diárias.

Em relação ao campo da ciência, pesquisadores têm estudado o cérebro adormecido e, assim, estão obtendo maior conhecimento sobre os mecanismos que realizam as atividades cerebrais durante o sono. Descobriu-se que certa parte do cérebro regula a melatonina (hormônio responsável pelo sono) e também funciona como um interruptor que liga e desliga a fase REM.

Entretanto, havendo qualquer debilidade nesta região cerebral, obter um sono profundo e reparador será impossível. Felizmente, neurocientistas do Hospital Geral de Massachusetts [1] garantem que a meditação pode beneficiar tanto esta parte do cérebro quanto outras, de modo que haja estímulo para o sono necessário.

Profissionais especializados em meditação escreveram livros nos quais abordam a relação sonho lúcido - meditação. É impossível obter um sonho lúcido sem tempo suficiente para alcançar a fase REM em sua etapa mais profunda.

Diversos doutores acreditam que a meditação pode, sim, curar as pessoas que sofrem de insônia. Ela fará com que você durma bem todas as noites, abrindo mão de remédios e outros tratamentos químicos.

1.2 - A meditação aumenta a produção de melatonina

Você sabe qual é o inimigo nº1 da melatonina? O estresse. Ao ser prejudicado por tal fator, esse hormônio se mantém em nível baixo, oferecendo, de maneira crescente, problemas que afetarão a mente e o corpo.

Porém, trazemos boas notícias! Pesquisadores da Universidade de Rutgers [1] descobriram que os níveis de melatonina crescem em média 98% nas pessoas que praticam meditação. Diversos praticantes aumentaram seus níveis de melatonina em mais de 300%.

Analisando os detalhes deste fenômeno, a meditação é responsável por reequilibrar os marcadores biológicos noturnos e isso efetuará um sono profundamente reparador. Contudo, no decorrer dos dias, você experimentará uma enorme sensação de bem-estar. Recorrer à meditação, e não aos suplementos químicos, é recomendável porque proporcionará um resultado eficaz, além de afastar a chance de haver qualquer dependência química.

1.3 - A meditação aumenta as ondas cerebrais do sono

Quando estamos ansiosos ou deprimidos, experimentamos ondas cerebrais beta em excesso. À medida que a noite avança, sentimo-nos frustrados porque não conseguimos realizar o descanso necessário, e acredite: pensar assim aumenta a frequência de ondas cerebrais beta, afastando cada vez mais a sonolência. Dessa maneira, as preocupações vão adiando o sono até a hora de nos levantar.

Estudos apontam que pessoas experientes em relação à meditação possuem ondas cerebrais beta com menos frequência e, em um nível mais alto, ondas cerebrais alfa, teta e delta. Estas ondas proporcionam benefícios, como tranquilidade e bem-estar, garantindo-lhes energia renovada cada manhã.

2 - Benefícios da meditação para a saúde

2.1 - Promove a saúde emocional

Praticar certas técnicas de meditação melhora nossa autoimagem e faz com que vejamos a vida a partir de uma perspectiva positiva.

O estresse libera em nosso corpo substâncias inflamatórias chamadas citocinas, afetando o estado de ânimo e provocando depressão. Em contrapartida, de acordo com certos estudos, a meditação pode provocar a diminuição destes agentes químicos danosos.

Um estudo [2] avaliou 18 pacientes que praticaram meditação durante três anos. Conforme os resultados, os participantes envolvidos experimentaram uma significativa diminuição no nível da depressão.

No mais, pessoas que meditam têm maior possibilidade de desenvolver atenção plena, demonstrando também mudanças notórias nas atividades cerebrais responsáveis pelos pensamentos positivos e otimistas.

2.2 - Reduz o estresse

Combater o estresse faz com que inúmeras pessoas aprendam e coloquem em prática técnicas de meditação.

O estresse mental e físico pode aumentar o nível do hormônio chamado cortisol. Dentre seus efeitos nocivos, há - como mencionado acima - a liberação de citocinas. Esta reação química pode atrapalhar o sono, aumentar as chances de depressão e ansiedade, além de aumentar a pressão arterial, o que desencadeará fadiga.

Conforme um estudo feito com 1.300 adultos, a meditação pode diminuir consideravelmente o estresse, incluindo pessoas cujo nível de estresse está acima do normal. Outros sintomas relacionados ao estresse também podem ser eliminados, como a síndrome do intestino irritável, transtorno do estresse pós-traumático e a fibromialgia, doença que gera dor e fraqueza muscular generalizada.

2.3 - Controla a ansiedade

Felizmente, à medida que combatemos o estresse, diminuímos a ansiedade. Com isso, os efeitos negativos gerados pelos transtornos relacionados à ansiedade são diminuídos, como ansiedade social, fobias, pensamentos paranoicos, comportamentos obsessivos compulsivos e síndrome do pânico.

A meditação é capaz de diminuir o nível da ansiedade ocasionada pelo trabalho, principalmente quando há responsabilidades que geram pressão. Para entender melhor a eficácia da meditação: 18 voluntários, três anos após completarem um programa de meditação, cuja duração foi de oito semanas, mantiveram níveis mais baixos de ansiedade durante muito tempo enquanto continuaram meditando regularmente.

2.4 - Amplia o nível de autoconsciência

Conhecer melhor a si mesmo é uma habilidade adquirida através da meditação, o que ampliará sua autoconfiança. Indagar a si mesmo enquanto realiza a meditação irá lhe ajudá-lo a desenvolver maior compreensão acerca de seus limites e ajudará você a se relacionar melhor com as pessoas ao redor.

Contudo, um estudo realizado com 21 mulheres, que passavam por tratamentos contra o câncer de mama, tiveram a autoestima elevada ao realizar aulas de Tai Chi Chuan. Elas, aliás, foram mais beneficiadas em comparação àquelas que recebiam o apoio de algum grupo social. Surpreendente, não?

2.5 - Aumenta a atenção

Quando visamos tonificar a atenção, meditar deve ser uma tarefa constante. Com o tempo, sua atenção se mostrará mais duradoura e resistente.

Se a falta de tempo para meditar lhe preocupa, fique tranquilo. A meditação, ainda que praticada durante um período curto, traz benefícios. De acordo com uma pesquisa, exercitar a meditação durante quatro dias é o suficiente para ampliar a atenção.

Outro estudo, realizado com trabalhadores, mostrou que seus participantes obtiveram atenção plena ao realizar suas funções laborais após meditar com regularidade. Estes profissionais também passaram a recordar-se melhor dos detalhes presentes em suas funções. Isso fez com que eles se destacassem mais que os outros trabalhadores.

2.6 - Estimula sentimentos positivos

Exercitar certas práticas meditativas cultiva em nós sentimentos positivos, pacificando nossas atitudes para com outras pessoas. A grosso modo, podemos dizer que determinadas meditações exigem uma busca interior, uma vontade insistente de alimentar dentro de si sentimentos bondosos que irradiem serenidade. Para que estes sentimentos se aflorem cada vez mais, é necessário esforço.

2.7 - Combate a perda de memória

Meditar a fim de fortalecer a atenção significa, como consequência, tornar a mente jovem. Trata-se de um benefício indispensável para as pessoas que têm a memória enfraquecida conforme o avança da idade.

Incrivelmente, além de proporcionar à memória força e clareza mental, a meditação pode beneficiar, ainda que de modo parcial, a memória de pacientes que sofrem de demência.

Seguindo a declaração de 12 experiências científicas, diversos estilos de meditação ampliaram a atenção, fortaleceram a memória e deu mais velocidade à mente de pacientes com idade avançada.

2.8 - Ajuda a combater os vícios

Você acredita em força interior? Ao meditarmos com frequência, podemos criar uma disciplina mental. Nisso, encontramos uma arma infalível contra os vícios. Sua base é a capacidade de autocontrole e uma consciência ampliada.

Para quem luta contra a balança, a meditação é um auxílio eficaz, afinal, ajuda-nos a controlar o desejo de comer em excesso. No campo científico, 14 estudos afirmam que a meditação ajudou uma série de participantes a reduzir desequilíbrios gerados por compulsões e fortes emoções.

2.9 - Controla a dor

É necessário entender que a nossa percepção acerca da dor está ligada ao nosso estado mental e pode haver elevação em meio a situações estressantes.

Em outras palavras, ilustrando a afirmação anterior com um exemplo, em um experimento foram empregados técnicas de resonância magnética funcional, cujo objetivo era analisar a reação de alguns pacientes ao sentirem um estímulo doloroso. Detalhe: certos pacientes passaram quatro dias em meditação e outros, não.

Aqueles que meditaram manifestaram uma maior atividade nas partes cerebrais responsáveis por controlar a dor.

Outro estudo, mais completo e demorado, analisou os efeitos causados pela meditação habitual em 3.500 participantes. O resultado foi surpreendente. Constatou-se que a meditação esteve associada à diminuição de queixas causadas por dores crônicas ou intermitentes.

2.10 - Diminui a pressão arterial

Sim, a meditação pode beneficiar a saúde física ao diminuir os efeitos fisiológicos que afetam o coração. Quando o assunto é pressão arterial alta, isso pode fazer com que o coração trabalhe mais para que, enfim, bombeie sangue em excesso, acarretando uma função cardíaca deficiente.

Infelizmente, a pressão arterial alta é capaz de desenvolver as seguintes doenças: aterosclerose e estreitamento das artérias, o que aumentará a chance de ataques cardíacos e derrame cerebral (AVC).

A meditação controla a pressão sanguínea ao relaxar os impulsos nervosos que controlam a função cardíaca e também o impacto negativo experimentado em situações estressantes.

3 - Estar dormindo ou meditando: qual é a diferença?

De fato, muitas pessoas se equivocam ao pensar que nada diferencia o sono da meditação. Grande engano. Talvez elas tenham esta impressão porque, em princípio, associam as duas atividades a um estado de sono profundo.

Confessamos que definir o que é o sono não é uma tarefa fácil. Mas, em linhas gerais, digamos que estar dormindo é desligar nossa capacidade de interagir com outras pessoas. Enquanto isso, nossa consciência mergulha em um profundo “nada”. Cientistas afirmam [3] que durante o sono partes do cérebro ainda trabalham, embora permaneçamos em total repouso.

Na meditação, o repouso é uma característica indispensável, mas isto não significa estar em sono profundo, pois é o momento em que damos asas à consciência enquanto estimulamos pensamentos, trabalhamos com a respiração e, despertos, fazemos uma incrível viagem pelo interior de nosso ser. [4]

4 - Técnicas para dormir melhor

Indo direto ao ponto: aqui, recomendamos a leitura desse artigo, no qual você encontrará técnicas para ter o descanso noturno necessário, como meditação guiada para dormir, relaxamento muscular e muito mais.

Referências bibliográficas:
[1] https://eocinstitute.org/meditation/meditation-for-insomnia-and-better-sleep/
[2] https://www.healthline.com/nutrition/12-benefits-of-meditation
[3]http://healthysleep.med.harvard.edu/healthy/science/what
[4]https://www.ishafoundation.org/component/option,com_newscomponent/Itemid,248/act,view/id,908/ 

Postado em Dicas e Insônia no dia 10 de Agosto de 2018

Comentários

Leia também...