'Pessoas que roncam sempre dormem primeiro :(' Triste Verdade

Triste, psicótico e estúpido - Quando a falta de sono se torna um pesadelo

A importância do sono nos serve além de manter uma boa aparência. Na contramão de crenças antigas, dormir está longe de ser uma atividade passiva, pois processos fisiológicos são realizados durante o sono. Dormir nos possibilita ajustar as diversas funções contidas em nosso corpo, beneficiando, principalmente, o cérebro.

De acordo com especialistas, os adultos devem dormir 8-10 horas por noite. No entanto, outros estudos afirmam que é necessário dormir, em média, 7 horas neste período do dia. Em todo caso, não se deve deixar de lado uma boa noite de sono ou isso poderá, de maneira duradoura, afetar gravemente sua saúde.

Os reflexos de uma noite mal dormida aparecem no dia seguinte: mau humor, lentidão, olheiras, aumento de apetite, cansaço, olhos inchados etc. Aliás, até nosso lado psicológico sofre após noites em claro.

Neste artigo, falaremos sobre alguns transtornos relacionados à falta de sono em um nível elevado. Apresentaremos certas soluções para lidar com este problema. Boa leitura.

1 - Psicose x Privação do sono

Perder uma noite de sono ora na balada, ora revirando apostilas de estudo, parece ser o típico de uma vida agitada. Mas esta agitação, que rouba suas horas de descanso, não se encaixa em uma rotina saudável.

Sabia que não dormir o suficiente gera sintomas similares aos da esquizofrenia? Pois é. Contata-se que pacientes diagnosticados com esquizofrenia têm delírios profundos, interpretações errôneas de espaço-tempo e veem a realidade de uma maneira destorcida. Quando não há o descanso necessário através do sono, você se sentirá confuso, caótico, sobrecarregado, sensível à luz e ao som - estes sintomas também são semelhantes aos da própria esquizofrenia!

Segundo o Dr. Christian Maurer, médico residente da Universidade de Utá: “O sono é a base do bem-estar. É uma relação complexa, já que a má qualidade do sono está claramente associada com as alterações do estado de ânimo. Pode-se desenvolver um ciclo perigoso quando o sono está comprometido”.

Contudo, não há indícios que comprovem o surgimento de doenças mentais graças a transtornos relacionados ao sono. Porém, de acordo com o Dr. Maurer, a ausência de sono pode acarretar problemas mais sérios que afetarão gravemente seu bem-estar.

Se você não quer se sentir mal, priorize a qualidade de seu sono e solicite um acompanhamento médico caso tenha notado qualquer diferente negativa em seu estado físico/mental por conta das noites mal dormidas.

2 - Depressão

As pessoas que sofrem de insônia têm 10 vezes mais chances de desenvolver depressão. Outros fatores contribuem para o surgimento desta doença, incluindo a sensação de solidão quando se está desperto, por exemplo. Não se exercitar fisicamente também é outro fator que nos coloca mais próximo desta terrível doença.

Keith Johnson, residente de psiquiatria da Universidade de Utá, coloca em evidência a complexa associação entre a falta diária de sono e a enfermidade mental. Diz ele: “Meu primeiro enfoque para tratar a depressão é assegurar-me de que os pacientes tenham hábitos alimentares saudáveis e tenham uma boa rotina de sono. O sono deficiente pode simular os sintomas da depressão, como a falta de concentração, de energia e baixo estado de ânimo. Privar-se do sono pode fazer com que os pacientes tenham alucinações, e isso pode ser tão perigoso quanto dirigir em estado de embriaguês. O sono deficiente faz com que a depressão seja mais resistente ao tratamento”.

Mais uma vez: ainda não foi comprovado que a falta de sono causa diretamente depressão. Entretanto, existe uma correlação entre esta doença debilitante e os problemas crônicos relacionados ao sono.

3 - Função cognitiva inferior

Alguma vez, ao acordar no meio da noite, você já se sentiu enjoado ou sem concentração? Ou você costuma dormir além do horário pré-estabelecido quase todos os dias? A perda de sono põe seus pensamentos em desordem, danifica o processo responsável pela sua linguagem e debilita sua memória.

Seus neurônios, que são responsáveis por transmitir mensagens ao corpo inteiro, funcionam incorretamente e, então, outras partes do cérebro tentam realizar as funções destes transmissores, motivo pelo qual isso faz com que nos sintamos mais lentos e fatigados – é possível que esta seja a razão de seu próprio cansaço.

O sono é um reparo necessário ao cérebro e, por este motivo, você se sentirá melhor após desfrutar uma noite bem dormida.

4 - Baixa imunidade

Acredite: para que você possa se ver livre do resfriado, dormir bem é mais eficaz que o tradicional suco de laranja. Quando seu corpo está cansado, os germes podem atacá-lo com facilidade.

Um estudo comprovou que pessoas expostas a germes e que dormiram seis horas (ou menos) durante sete dias, tiveram quatro vezes mais probabilidade de contrair um resfriado em comparação àquelas que dormiram mais de sete horas por noite.

Enquanto você descansa, naturalmente seu corpo libera e regula as citocinas e os anticorpos para, então, proteger o corpo e lutar contra a entrada de patógenos. Sem dormir, seu corpo não tem o tempo necessário para regenerar-se e reforçar a células do sistema imunológico, deixando-o mais vulnerável ao ataque de bactérias e vírus. Priorize seu sono: proteja-se!

Sarah Brown, a diretora de Saúde e Bem-Estar com Sleepy, afirma: “As pessoas que dormem pouco devido à alta carga de trabalho, à vida familiar ou a alguma doença, deveriam estimular seu sistema imunológico com vitamina zinco. Dormir melhor ajudará seu corpo a se proteger melhor durante o tempo de vulnerabilidade. Quando possível, durma o suficiente. É o melhor remédio para manter seu corpo saudável”.

5 - Dicas práticas para evitar a privação do sono

Não são quaisquer dicas! São 27 dicas para dormir melhor apresentadas nesse post. Confira!

Referências bibliográficas:
[1]https://sleepjunkies.com/health/sad-psychotic-stupid/?mc_cid=eb21474932&mc_eid=a4c3debf31
[2] https://dorminhoco.com/25-dicas-efetivas-para-dormir-melhor/

Postado em Diversos e Curiosidades no dia 02 de Junho de 2018 e última atualização dia 19 de Julho de 2018

Comentários

Leia também...