'Mentes cansadas não planejam bem. Durma primeiro, planeje depois.' Dalai Lama

Por quanto tempo aguentamos ficar acordados?

Capa post - Por quanto tempo aguentamos ficar acordados?

Texto: Postado em Curiosidades por Caio Cesar no dia 10 de Abril de 2020 .

Admita: você já se fez esta pergunta alguma vez. Digamos ser uma dúvida comum que, à primeira vista, parece não ter uma resposta exata. Por quantas horas nós, por exemplo, suportamos ficar acordados? Humanamente falando, haveria um limite para isso? Ou quais seriam suas consequências para o corpo e a mente?

Nossas perguntas estão lançadas! Contudo, nas linhas a seguir, vamos explorar este assunto que mexe com a imaginação e divide posicionamentos.

Boa leitura!

1 - Por quanto tempo aguentamos ficar acordados?

Responder a esta pergunta não é uma tarefa fácil. Ainda que falte uma resposta que seja completa e objetiva, podemos mencionar um recorde mundial.

Em 1964, o estudante Randy Gardner pôs à prova os limites de seu próprio corpo e mente após permanecer 264 horas sem dormir (o que equivale a 11 dias, aproximadamente). O jovem Gardner, aluno do ensino médio, topou este desafio em nome de uma pesquisa feita para seu próprio colégio.

A façanha de Gardner é um recorde mundial oficialmente registrado pela ciência. Esta meta ainda continua insuperável por outros adversários, e pasmem: a saúde de Gardner não sofreu nenhum dano ao concluir o experimento.

2 - Permanecer acordado: qual seria o tempo limite?

Pois bem: 24 horas seria o tempo limite. Indo um pouco além, nosso corpo poderia sofrer consequências nada agradáveis. De fato, pode haver exceções, como é o caso de um homem que, reza a lenda [1], passou meses sem dormir.

É esperado que, após 24 horas sem dormir, sintamos nossas funções cognitivas desorientadas, isto é, raciocínio lento, memória debilitada e dificuldade para formar uma única linha de pensamento.  É uma condição que também prejudica a função motora, além de enfraquecer a capacidade cerebral responsável pela tomada de decisões.

Certos estudos [1] revelaram que ficar 24 horas sem dormir é o mesmo que ingerir 0,10% de álcool (circunstância que se torna pior à proporção que as horas em claro aumentam). Pessoas que costumam ficar muito tempo sem dormir são um perigo para si mesmas e para os outros, principalmente quando assumem o volante.

3 - Condições que causam a privação de sono

Certos fatores são responsáveis pela falta de sono. Exemplos comuns:

  • Estresse diário
  • Maus hábitos relacionados ao sono
  • Trabalhar até tarde
  • Morar em um ambiente ruidoso
  • Fazer atividades físicas ou ingerir cafeína à noite

4 - Privação de sono: etapa aguda e crônica

A privação de sono aguda é uma consequência que surge depois de uma ou duas noites em claro. Com isso, experimenta-se os seguintes efeitos:

  • Menor capacidade de atenção
  • Problemas para se manter acordado
  • Maior dificuldade para concentrar-se
  • Lapsos de memória
  • Sonolência e fadiga constantes
  • Maior risco de acidentes (seja no trânsito, seja no local de trabalho)
  • Humor oscilante
  • Fácil ira e irritabilidade

A boa notícia é que, em geral, você pode se livrar destes efeitos desagradáveis ao dormir bem na noite seguinte.

Por outro lado, a privação de sono crônica representa um maior risco para a saúde, sendo um fator comum na vida daquelas pessoas que dormem mal durante um longo período. Estes homens e mulheres estão, cada vez mais, próximos dos seguintes riscos:

5 - Noites em claro e alucinações

Sim, alucinações podem fazer parte da vida daqueles que dormem pouco (quem diria, não? Às vezes nós pensamos que esta consequência é algo que se limita apenas aos filmes de suspense).

Alguns dias sem dormir já é o suficiente para que sua mente, enfim, comece a criar alucinações. Aliás, ter alucinações é um efeito perigoso para os que ainda insistem em continuar acordados. Também foi comprovado que as alucinações são frequentes depois de 72 horas sem dormir, e elas aparecem como:

Alucinações auditivas - Frequentemente, assumem a forma de uma ou mais vozes.

Alucinações olfativas - Fazem com que você imagine cheiros que não existem.

Alucinações táteis - São capazes de alterar o tato, ainda que ilusoriamente.

Alucinações gustativas - Criam ilusões que enganam o paladar, como se o paciente pensasse estar sentindo gostos desagradáveis.

Também podemos destacar que as alucinações visuais são menos comuns em comparação às alucinações auditivas.

A percepção pode ser afetada, a ponto de ser dominada pela paranoia: tensão que levará ao corpo diversos efeitos secundários físicos, o que pode fazer mal ao funcionamento dos órgãos internos.

6 - Ficar muito tempo acordado pode levar à morte?

Permanecer bastante tempo acordado não é um fator que, diretamente, matará você. Porém, o real perigo está nos efeitos que seu corpo sentirá quando dormir pouco se torna algo constante em sua vida. O pouco sono é uma verdadeira ameaça para seus órgãos, considerando a degeneração de células cerebrais, como nos apontam [2] fontes de informações.

7 - Considerações finais

Dizem que o sono é “um tirano gentil”, pois você pode atrasá-lo, mas nunca será capaz de vencê-lo. A gente sabe que tarefas e compromissos podem protelar o sono, mas nunca deixe de se esforçar para dormir as horas necessárias (ao menos, o que possa se aproximar disso). Dormir bem é possibilitar, gratuitamente, diversos benefícios que são importantes para o corpo e a mente.

Referências bibliográficas:
[1] https://purple.com/blog/how-long-can-you-go-without-sleep
[2] https://www.sleepadvisor.org/can-you-survive-without-sleep/

Comentários

Leia também...

Como funciona nosso cérebro durante o sono?

Estudar o sono atrai nosso olhar para o corpo humano. Daí, notamos que dormir não é, em hipótese alguma, uma atividade inerte: livre de movimentos e reações – não! Se há vida, naturalmente há processos fisiológicas, graças ao trabalho de certos órgãos, dentre os quais falaremos, neste artigo, sobre o c... Leia o artigo »

28/02/2020

Faz mal trabalhar ou estudar de madrugada?

Trabalhar ou estudar de madrugada: obrigação ou vantagem de uma rotina flexível. São muitas as pessoas que preenchem as horas noturnas com atividades. Você, por acaso, também troca o dia pela noite por causa de compromissos? Ainda que em nome da “responsabilidade”, faz mal ao corpo e à mente ocupar-se à noite em vez de do... Leia o artigo »

27/03/2019

Conheça o sono Polifásico

A expressão “sono Polifásico” ainda soa estranho para muitos ouvidos. Você sabe o que estas duas palavras significam? De fato, tem a ver com um determinado padrão de sono bastante incomum.   Neste artigo, trazemos sua definição, possíveis efeitos colaterais, curiosidades e outras informações esclarecedoras. Boa leitura!... Leia o artigo »

27/09/2019

Xixi na cama: conheça a enurese noturna

Quem nunca fez xixi na cama, mesmo durante o início da infância? Rara, senão impossível, a chance de haver uma resposta negativa. Por ser um problema frequente, um distúrbio que tem umedecido o colchão de diversas crianças, sabemos o quanto é importante abordá-lo nos parágrafos a seguir, não nos esquecendo de ressaltar seu... Leia o artigo »

02/08/2018

Por que acordo com muita fome?

A fome é um impulso natural. Ela combina com um belo e nutritivo café da manhã, refeição indispensável para um dia cheio de energia! O problema é quando o apetite – fera indomável! – passa a interromper as noites de sono. Por que algumas pessoas sentem tanta fome a ponto de perderem o sono? Nesse artigo, exploraremos esta quest&at... Leia o artigo »

24/05/2019

Compartilhe

Preencha seus dados aqui e junte-se a 4960 pessoas e receba no seu email dicas para dormir melhor.

Sobre

Passamos em média 36% da nossa vida dormindo e sabemos que uma noite ruim de sono significa num dia não muito bom pela frente. Através da nossa loja e blog, nosso objetivo é ajudar você dormir melhor. Leia um pouco sobre nossa história.