'Dormir bem é ter vida.' Dorminhoco.com

O que é o Ritmo Circadiano?

Nosso dia está dividido em etapas. Momentos de lazer, trabalho, estudo... Como seria possível realizar tarefas habituais sem a energia necessária? Nossa resposta é valorizar e respeitar, em primeiro lugar, as horas de sono. Período importantíssimo! Inevitavelmente, escrever sobre o descanso noturno nos coloca em contato direto com o ritmo circadiano. Você sabe o que esta expressão significa?

Nas próximas linhas, iremos defini-la, apresentando outros conceitos dignos de atenção, além de respondermos a perguntas baseadas em dúvidas comuns. Também disponibilizaremos dicas às pessoas que desejam regular o ritmo circadiano e, assim, alcançar mais saúde em seus dias.

Boa leitura!

1 - O que é o ritmo circadiano?

O ritmo circadiano condiz com mudanças físicas, mentais e comportamentais à medida que acompanha o ciclo diário. Pode-se dizer que o ritmo circadiano sofre alterações conforme a luz e a escuridão em torno de um organismo. Exemplificando: dormir à noite e permanecer acordado durante o dia evidencia como o ritmo circadiano interagem com a luz. Também podemos constatar este mecanismo na maioria dos seres vivos, ou seja, animais, plantas e seres microscópicos.

A ciência que estuda o ritmo circadiano nos seres vivos se chama cronobiologia.

2 - O que é o relógio biológico?

O relógio biológico é uma espécie de dispositivo. Ele está presente em um organismo desde o nascimento. O relógio biológico é composto por proteínas que, por sua vez, atuam nas moléculas de todo o corpo. Este mecanismo natural está presente em quase todos os tecidos e órgãos. Pesquisadores [1] têm realizado estudos e, consequentemente, encontrado genes semelhantes em ratos, fungos, moscas-da-fruta, seres humanos e outros organismos vivos. Além dos próprios genes, foram constatadas outras substâncias que formam o relógio biológico.

3 - O relógio biológico e o ritmo circadiano são iguais?

Não. Entretanto, ambos mantêm certa relação. O relógio biológico produz o ritmo circadiano e regula seu tempo.

4 - O que é o relógio mestre?

O relógio mestre coordena todos os relógios biológicos em um ser vivo, a ponto de mantê-los em sincronia. Nos seres humanos (incluindo todos os animais vertebrados) o relógio mestre equivale a um grupo de 20 mil células nervosas (neurônios), formando uma estrutura que atende pelo nome de núcleo supraquiasmático (NSQ).

O referido núcleo está localizado em uma parte do cérebro chamada hipotálamo e recebe informação direto dos olhos. O hipotálamo é parte do diencéfalo, situando-se na base do cérebro, onde são encontrados diversos centros do sistema nervoso simpático e parassimpático, que regulam o sono, o apetite, a temperatura corporal etc.

5 - O corpo produz e mantém seu próprio ritmo circadiano?

Elementos naturais, presentes no organismo humano, produzem o ritmo circadiano. Entretanto, fatores externos afetam este aspecto fisiológico. A luz do dia é uma característica que exerce maior influência sobre o ritmo circadiano. Na prática, a luz solar pode tanto ativar quanto desativar os genes que controlam a estrutura molecular do relógio biológico.

Alterar o ciclo luz-escuridão pode acelerar, diminuir ou equilibrar o relógio biológico e o ritmo circadiano.

6 - O ritmo circadiano afeta a função corporal e a saúde?

Sim. O ritmo circadiano influencia o ciclo sono-vigília, além de liberar hormônios, mudar os hábitos alimentares e a digestão, dentre outras funções corporais importantes. Atenção! O relógio biológico que funciona de maneira rápida ou lenta desencadeia um ritmo circadiano anormal ou alterado.

O ritmo circadiano irregular facilita o aparecimento de doenças crônicas, como transtorno do sono, obesidade, diabetes, depressão, transtorno bipolar e transtorno afetivo sazonal (SAD).

7 - Sono X ritmo circadiano

Em primeiro lugar, o ritmo circadiano é fundamental para determinar nosso sono padrão. O relógio mestre do corpo humano - ou o próprio núcleo supraquiasmático - controla a produção de melatonina: “hormônio do sono”.

No geral, quando há pouca luz, o núcleo supraquiasmático estimula a produção de melatonina no cérebro, aumentando a sonolência. Pesquisadores [1] estão realizando estudos a fim de descobrir como o trabalho por turnos e a exposição à luz dos aparelhos eletrônicos (celulares, por exemplo) são capazes de alterar o ritmo circadiano e o ciclo sono-vigília.

8 - Ritmo circadiano X Jet Lag

Pessoas que realizam viagens internacionais com frequência e têm dificuldade para se adaptar a fusos-horários diferentes sofrem de um fenômeno chamado Jet Lag. Deste modo, o relógio biológico parece ficar desregulado. Quer um exemplo? Pois bem...

Imaginemos que você realizou um voo, saindo da costa oeste de um estado americano e aterrissando na costa leste de outro estado. Neste trajeto, você “perdeu” três horas. Logo, quando você acordar às 7 da manhã em seu novo destino turístico, seu relógio biológico ainda estará funcionando como se você ainda estivesse na costa oeste. Então, seu corpo agirá como se tivesse acordado às 4 da manhã. Até seu relógio biológico se adaptar ao novo horário, isto poderá levar minutos, horas ou dias...

Contudo, outras fontes de informação [2] garantem que é necessário, aproximadamente, um dia para então regular cada hora de diferença, até o organismo se adaptar por completo ao novo horário.

9 - O ritmo circadiano segundo pesquisadores

Como dito anteriormente, pesquisadores têm usado, como objeto de estudo, seres humanos, moscas-da-fruta e ratos. Os estudiosos analisam o ritmo circadiano alterando a luminosidade do ambiente onde a paciente está inserido. Conforme o grau de luz e escuridão, observa-se a reação dos genes e o comportamento molecular. Assim, percebemos com nitidez o funcionamento do relógio biológico.

Organismos que possuem um relógio biológico irregular não ficam de fora dos estudos, pois desejam identificar quais componentes genéticos do relógio biológico sinalizam mau funcionamento.

10 - Estudos acerca do relógio biológico X saúde

Explorar o mecanismo do relógio biológico e conhecer seu funcionamento orienta os pesquisadores, possibilitando-lhes conduzir tratamentos contra a obesidade, transtornos do sono, jet lag e outros problemas de saúde. Isto, aliás, pode auxiliar as pessoas que trabalham à noite e buscam uma melhor adaptação. Estudar os genes que contribuem para a realização do ritmo circadiano amplia nossos conhecimentos acerca do corpo humano e suas funções fisiológicas.

11 - Ritmo circadiano desregulado

Ter um ritmo circadiano desregulado significa colocar a saúde em risco, tornando-a mais frágil mediante doenças. Empregando um termo medicinal, o desalinhamento crônico é o nome dado ao desequilíbrio entre o ritmo circadiano e a rotina diária, a ponto de haver uma instabilidade constante.

Interromper frequentemente o ritmo circadiano, seja pelo consumo exagerado de álcool, seja por conta de um novo fuso-horário, nossa saúde sofrerá sérios danos a largo prazo. Contudo, o consumo de álcool reduz a quantidade de tempo que passamos no sono REM (Rapid Eye Movement). Esta etapa do sono é importante para a saúde cerebral e para o desempenho da memória.

O horário de verão também é outro fator que muda o ritmo circadiano e prejudica a saúde, pois alterar apenas uma hora relacionada ao sono padrão aumenta a chance de ataque cardíaco ou acidentes de carro.

Enquanto dormimos, o organismo realiza uma série de funções fisiológicas benéficas. Há, por exemplo, maior resposta anti-inflamatória, acúmulo de energias que combate bactérias e infecções, funções regenerativas que reconstroem o tecido muscular. Lembre-se: manter o ritmo circadiano regulado beneficia a saúde em diversos aspecto e aumenta o tempo de vida. Caso contrário, os processos citados neste parágrafo não desempenharão bem seu papel, o que facilitará o surgimento de inúmeras doenças.

12 - Cinco maneiras de regular o ritmo circadiano

Nosso contato com a luz é uma das razões pelas quais temos sérias dificuldades para dormir. A luz de nosso quarto, por exemplo, pode facilmente enganar o cérebro, dificultando a liberação de melatonina. Outro aspecto que gera o mesmo problema é o contato com a luz emitida pelo aparelho celular. Quem nunca deu uma olhadinha no Zap, mesmo após deitar-se na cama? Em seguida, perdemos preciosos minutos de sono assistindo a vídeos sobre fatos curiosos e outras trivialidades...

Regular o ritmo circadiano exige esforço. Se você diminuir sua exposição à luz por, pelo menos, uma hora antes de ocupar a cama e, em seguida, deitar-se um pouco mais cedo, haverá maior estímulo para que o núcleo supraquiasmático (NSQ) libere o “hormônio do sono”. Manter o ritmo circadiano requer disciplina!

Abaixo, dicas para ajudar você a regular o ritmo circadiano. Estas dicas também são úteis às pessoas que desejam ajustar o ritmo circadiano conforme seu estilo de vida.

12.1 - Expor-se à luz

Aqui, fazemos referência à luz solar e azul. Recomendamos que você, durante o dia, esteja em contato com maior quantidade de luz solar possível. Caso não haja luz solar, simples: busque a luz azul de onda curta.

12.2 - Jejum

Permanecer em jejum durante um período prolongado pode regular o ritmo circadiano, havendo melhor adaptação a partir do próprio organismo. Se revermos nossos hábitos alimentares, a levar em consideração hora e tipo de comida, podemos encontrar a chave para equilibrar o ritmo circadiano. Em um dos parágrafos a seguir falaremos mais sobre como a alimentação pode ser um grande auxílio.

12.3 - Sono X fins de semana

Tente não dormir muito nos fins de semana, nem variar o padrão sono-vigília. Acordar um pouco tarde de vez em quando, não causará um efeito drástico, mas variar sempre a hora de deitar-se ou levantar-se desregulará o ritmo circadiano e atrapalhará sua vida social.

12.4 - Menos exposição à luz eletrônica

Diminua consideravelmente ou evite o contato com a luz emitida por aparelhos eletrônicos. Caso você necessite utilizar o telefone celular ou computador antes de ocupar a cama, existe aplicativos que podem reduzir ou bloquear a luz azul, típica nestes aparelhos. Elas atrapalham - e muito! - a produção de melatonina.

12.5 - Evite certos alimentos

Antes de dormir, não coma alimentos com alto nível de cafeína ou açúcar. Consumir alimentos pesados antes de deitar-se não é recomendável. Portanto, sempre busque jantar mais cedo. Comer de modo adequado pode ser a solução para regular o ritmo circadiano. O caminho para uma boa noite de sono pode começar pela mesa.

Referência bibliográfica:
[1] https://www.nigms.nih.gov/Education/Pages/Factsheet_CircadianRhythms.aspx
[2]https://www.gaia.com/article/trouble-sleeping-here-are-5-ways-to-reset-your-circadian-rhythm

Postado em Curiosidades no dia 22 de Outubro de 2018

Comentários

Leia também...

Xixi na cama: conheça a enurese noturna

Quem nunca fez xixi na cama, mesmo durante o início da infância? Rara, senão impossível, a chance de haver uma resposta negativa. Por ser um problema frequente, um distúrbio que tem umedecido o colchão de diversas crianças, sabemos o quanto é importante abordá-lo nos parágrafos a seguir, não nos esquecendo de ressaltar seu... Leia o artigo »

02/08/2018

Por que mulheres tem mais dificuldades em dormir?

Pesquisadores descartam a menstruação como causa. Segunda, 12 de Setembro (HealthDay News) - Algumas mulheres sofrem com interrupções frequentes do sono e um pequeno estudo pode trazer uma luz a este mistério. O relógio natural das mulheres (ou relógio circadiano) gira em um ritmo mais rápido que o dos homens, de acordo com a pesquisa. "... Leia o artigo »

06/11/2016

15 Mitos sobre o sono revelados

Por mais de 2.500 anos, o sono vem sendo estudado e, mesmo assim, sabemos muito pouco sobre suas razões, causas e efeitos. Apenas no século passado cientistas começaram a estudar afundo sobre a psicologia do sono. Em 1928, a eletroencefalografia (EEG) foi usada pela primeira vez para gravar a atividade cerebral durante o sono. Mais recentemente, a ressonância magné... Leia o artigo »

09/02/2014