'Um dia bem gasto traz um sono feliz.' Leonardo da Vinci

Cientistas descobrem proteínas que regulam o sono

Capa post - Cientistas descobrem proteínas que regulam o sono

Texto: Postado em Estudos e Notícias por Mateus no dia 23 de Outubro de 2018 .

Um novo estudo relatado no Proceedings of National Academy of Sciences (PNAS) mostrou que uma única mutação numa proteína dos ratos tem grandes efeitos na forma como os ratos dormem e em seu estado de vigília. Esta pesquisa também poderia lançar luz sobre os mecanismos fisiológicos que regulam o sono em humanos.

Neste estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Tsukuba, a equipe se baseou em seus trabalhos anteriores nos quais submeteram camundongos a um mutagênico, examinando-os a respeito de distúrbios do sono e, em seguida, identificando a região mutante causadora. Aqui, a equipe produziu uma mutação numa posição específica de uma proteína chamada SIK3 e, em seguida, examinou os efeitos das mudanças dessa proteína no sono e na duração da vigília, bem como a atividade cerebral refletindo períodos de sono REM, não-REM e o estado de alerta quando acordado.

Os resultados mostraram que a mudança do 551º aminoácido da proteína SIK3 causou maior duração do sono não-REM, bem como um aumento da "necessidade de sono" refletido em padrões particulares de atividade das ondas cerebrais quando ambos os ratos dormiam e acordavam. Os ratos também permaneciam acordados por períodos mais curtos durante a noite, horário que normalmente ficam mais ativos.

"Os resultados foram particularmente interessantes, pois essa mutação afetou os períodos de ausência de movimento ocular rápido, a parte não-REM do sono, enquanto o sono de movimento rápido dos olhos, a parte REM, ficou praticamente inalterado", disse o co-autor Masashi Yanagisawa. "Isso mostrou que o SIK3 está envolvido em mecanismos regulatórios relacionados ao sono muito específicos".

"As características deste aminoácido nesta proteína são evolutivamente conservadas em todo o reino animal, por isso esses resultados são potencialmente relevantes para estudos sobre o sono em humanos", afirma o autor principal, Takato Honda. "Por exemplo, na condição hipersonia idiopática, os pacientes experimentam uma forte necessidade de dormir e estão com sono durante todo o dia, como os ratos de nossos estudos. Nosso trabalho poderia ajudar a explicar o porquê."

 

Comentários

Leia também...

Terapia com CPAP reduz os sintomas da depressão

Estudos científicos [1] detectaram os sintomas da depressão em pessoas que têm apneia do sono. A ligação entre estas doenças é algo muito comum. Porém, foi comprovado que a terapia com aparelho CPAP serve para diminuir consideravelmente os sinais da depressão, como também para tratar a temida apneia do sono. Resultados comprovara... Leia o artigo »

24/06/2019

Cientistas descobrem proteínas que regulam o sono

Um novo estudo relatado no Proceedings of National Academy of Sciences (PNAS) mostrou que uma única mutação numa proteína dos ratos tem grandes efeitos na forma como os ratos dormem e em seu estado de vigília. Esta pesquisa também poderia lançar luz sobre os mecanismos fisiológicos que regulam o sono em humanos. Neste estudo realizado por pes... Leia o artigo »

23/10/2018

Qual o tempo ideal por noite?

Cientistas descobriram que o tempo ideal uma noite bem dormida é de 6 a 8 horas de sono, resultando em benefícios para a saúde e o coração. Ultrapassar esse tempo ou diminuir pode se tornar muito prejudicial para à saúde. As conclusões das pesquisas foram apresentadas neste ano no Congresso ESC. A autora do estudo, Epameinondas Fountas, do Ce... Leia o artigo »

25/09/2018

Genes que regulam o quanto sonhamos

O sono é um comportamento universal e extremamente vital para os animais. Em vertebrados superiores, como mamíferos e aves, o sono é classificado em duas fases: sono de movimento rápido dos olhos (REM, no qual ocorre os sonhos) e sono não REM. Durante o sono REM, nosso cérebro é tão ativo quanto quando estamos acordados, ao passo que acredita... Leia o artigo »

05/09/2018

Dormir mal engorda?

Pular uma única noite de sono causa mudanças na atividade cerebral, o que desperta a necessidade de consumir mais gordura durante o dia, segundo a descoberta feita por um estudo. Este mesmo estudo aponta a diferença entre a falta de sono e o risco de obesidade.  “A principal descoberta desse estudo é que uma única noite de sono perdida ou de pouco sono... Leia o artigo »

06/03/2015