'Cedo na cama, cedo batente: faz o homem próspero, saudável e inteligente.' Benjamin Franklin

Por que bocejamos?

Parece ser um movimento involuntário: os olhos se fecham prestes a lacrimejar, o semblante se contrai e a boca, realizando uma abertura expressiva, tenta abafar a sonolência e expulsar o desânimo. Bocejar é uma reação tida como natural. Mas talvez isto, manifestado em meio aos assentos de uma plateia, desencoraje rapidamente o artista que busca entretê-la.

Fracassos à parte, hoje dedicaremos nossas próximas linhas ao bocejo, apresentando sua definição, respondendo perguntas baseadas em dúvidas frequentes e ressaltando, com maiores detalhes, informações valiosíssimas.

Boa leitura!

1 - O que é o bocejo?

Crianças, adultos e idosos bocejam; animais também não ficam de fora! Segundo o dicionário Aurélio, bocejar é o “abrimento espasmódico da boca, com aspiração do ar, seguida de expiração prolongada”. Certamente esta é uma das definições mais claras e resumidas ao alcance dos leitores. Evitando qualquer redundância, garantimos: outras questões importantes nos aguardam. Preparado? Avancemos!

2 - Por que bocejamos?

Quantas pessoas já se fizeram esta pergunta, mesmo entre um bocejo e outro? Em primeiro lugar, não há uma resposta conclusiva que aponte a verdadeira função fisiológica desta reação. No entanto, seguindo nosso posicionamento investigativo, analisaremos algumas hipóteses.

Segundo fontes informativas [1], bocejamos quando estamos cansados, pois não respiramos tão profundamente como fazemos de hábito. Ainda de acordo com esta teoria, o bocejo leva mais oxigênio ao sangue e, ao mesmo tempo, diminui a quantidade de dióxido de carbono presente na corrente sanguínea. Conforme esta pesquisa: bocejar é um bem para a saúde.

Antes de apresentarmos a próxima teoria, é necessário entender que respirar mais oxigênio não diminuirá as vezes que bocejamos e, ironicamente, possuir maior quantidade de dióxido de carbono no organismo não nos fará bocejar mais.

Outra hipótese [1] acredita que bocejar dilata os pulmões e o tecido pulmonar. Ao bocejarmos, flexionamos os músculos e as articulações enquanto a frequência cardíaca sofre maior aceleração. Embora não percebamos de imediato, isto também faz com que nos sintamos despertos.

Outro estudo [1] afirma que se prendermos o bocejo, logo teremos dificuldade para respirar. Esta mesma teoria também afirma que bocejar permite a circulação de uma substância parecida com o surfactante pulmonar, que é encarregado por manter os pulmões lubrificados, evitando a chance de qualquer colapso respiratório.

Outra teoria científica [2] crê que bocejar regula a temperatura cerebral. Em 2014, um estudo publicado na Physiology & Behavoir analisou o bocejo em 120 participantes, de maneira que foi descoberto neles o hábito de bocejar menos durante o inverno. Caso a temperatura do cérebro se distancie bastante daquela considerada normal, bocejar seria útil para resfriá-la.

Em linhas gerais, bocejamos quando estamos cansados, entediados e ao ver alguém bocejar. Conforme o primeiro caso, o cérebro está “desacelerado”, alcançando uma temperatura desregulada. No segundo caso, a temperatura cerebral está fora do seu nível normal em virtude da falta de estímulo. Quanto ao último caso (observar alguém bocejar), analisaremos isto afundo nos próximos parágrafos.

3 - O bocejo é contagioso?

Sim, bocejar é uma reação contagiosa. Quer uma prova? Então, experimente assistir a um vídeo onde há pessoas bocejando. Quando você menos esperar, estará abrindo a boca igualzinho a elas - caso sinta sono, nada de dormir antes de terminar a leitura deste artigo, hein!

No mais, bocejar ao ver uma pessoa tendo a mesma reação é um sinal positivo, desencadeado pelo sentimento de simpatia e certo desejo de aproximação. Esta certeza é, aliás, resultado de um estudo feito pela Universidade Baylor.

Um estudo [2], publicado na Personality and Individual Differences, analisou 135 estudantes universitários, levando em consideração suas personalidades e como reagiram mediante diferentes movimentos faciais. De acordo com os resultados: quanto menos empatia eles tiveram por uma pessoa, menor foi a chance de bocejarem após vê-la bocejar. Contudo, é importante entender que este experimento e seu resultado não podem ser generalizados. Não há como, por exemplo, medir o grau de psicopatia ou sociopatia em uma pessoa através do bocejo.

Outros dados científicos [3] asseguram que o “bocejo contagioso” mexe com diversas estruturas do cérebro. Pessoas mais vulneráveis ao “bocejo contagioso” tiveram seu cérebro examinado, constatando-se ativação no córtex pré-frontal ventromedial do cérebro. Esta região cerebral está ligada à tomada de decisões. Se esta parte do cérebro sofrer algum dano, poderá haver a perda de empatia. Os estudos neurológicos têm mais a nos dizer...

Neurônios com oxitocina, localizados em uma área particular do hipotálamo, causa bocejo em roedores através de estímulos. A oxitocina é um hormônio que está relacionado aos vínculos sociais e à vitalidade mental.

Para entender melhor: injetar oxitocina em diversas partes do tronco cerebral pode, sim, causar bocejo. Dentre estas partes, identificamos o hipocampo (responsável pela aprendizagem e memória), a área tegmental ventral (associada à liberação de dopamina, conhecida como “hormônio da felicidade”) e a amígdala (relacionada ao estresse e às emoções). Do contrário, bloquear os receptores de oxitocina anula o bocejo.

Homens e mulheres, portadores da doença de Parkinson, não bocejam com frequência, e isto pode estar relacionado aos baixos níveis de dopamina.

Nota-se que o cortisol, hormônio que cresce conforme o nível de estresse, também provoca bocejos à medida que a remoção da glândula adrenal (que libera o cortisol) impede a vontade de bocejar. Isto nos mostra como o estresse pode desempenhar um papel significante quanto ao desejo de bocejar. Exemplo: observe como seu cachorro permanece inquieto durante uma longa viagem de automóvel. Esta inquietação, ocasionada pelo estresse, o fará bocejar cada vez mais.

4 - Bocejo muito: e agora?!

Não se preocupe! Ofereceremos dicas que ajudarão você a lidar melhor com isto, e são elas:

4.1 - Respire fundo

Exercícios que envolvem respiração profunda e feita pelo nariz é uma excelente opção. Bocejar com frequência pode ser falta de oxigênio no corpo. Estudos comprovaram que respirar fundo também diminui o chamado “bocejo contagioso”.

4.2 - Busque movimentar-se

Aqui, nos referimos aos movimentos que geram mudanças, a ponto de romper qualquer monotonia. Escolher atividades diversificadas dará mais estimulo ao cérebro. Do contrário, cansaço, tédio e estresse farão com que bocejemos mais. Bocejar com frequência também pode ocorrer em virtude do consumo excessivo de cafeína e desintoxicação de opiáceos.

4.3 - Refresque-se

Se você não consegue parar de bocejar, certamente um pouco de ar fresco lhe fará bem. Também recomendamos um lugar arejado, que ofereça um clima agradável. Tomar um copo de água fria é uma opção válida, além de comer frutas e verduras. Que tal petiscar uma porção de cenouras pequenas? Alimentos que não necessitam ser esquentados também são bem-vindos, como o famoso sanduíche natural. Apreciar uma taça de sorvete é um jeito saboroso de combater o bocejo.

5 - Devo ir ao médico porque bocejo muito?

Sim, é recomendável ir ao médico se você anda bocejando bastante. Pode-se dizer que sua ida ao médico se torna indispensável caso o bocejo venha acompanhado por sintomas que provocam mal- estar a ponto de interromper suas atividades cotidianas.

Informe o profissional responsável pela sua saúde, relatando o momento em que você passou a bocejar com frequência e outros sinais que necessitam de atenção: falta de sono, corpo dolorido e ausência de clareza mental. Estas informações podem ajudar seu médico a diagnosticar a existência de uma doença subjacente, recomendando o tratamento adequado conforme a urgência.

6 - Considerações finais

Neurocientistas têm desenvolvido estudos que revelam uma ampla gama de fatores que evidenciam a razão pela qual bocejamos. Assim, temos uma visão nítida sobre os mecanismos subjacentes que causam o bocejo. Porém, ainda não se sabe o verdadeiro propósito do bocejo, embora, de maneira QUASE unanime, acredita-se que o bocejo sirva para regular a temperatura do cérebro. Mais estudos são necessários.

Se você anda bocejando muito e não sabe o que fazer, aconselhamos, antes de procurar uma ajuda médica, rever a qualidade de suas noites de sono. Dormir bem irá, de fato, diminuir o quanto você boceja, além de beneficiar amplamente sua saúde. Bons sonhos!

Referência bibliográfica:
[1] https://kidshealth.org/en/kids/yawn.html
[2] https://www.healthline.com/health/why-do-we-yawn
[3] http://theconversation.com/health-check-why-do-we-yawn-and-why-is-it-contagious-94732

Texto postado em 05 de Outubro de 2018 .

Comentários

Leia também...

Sono X Coronavírus - Você precisa saber disso

De repente o mundo se vê abalado por um vírus. Hoje, ele faz parte da realidade brasileira, o que tem ocasionado preocupação, mudança de hábitos e medidas governamentais inéditas. Mas você sabia que um dos momentos mais vulneráveis para se contrair o vírus é quando estamos dormindo? Qual seria, por sua vez, o papel do ... Leia o artigo »

24/03/2020

Verificar o tempo todo as redes sociais pode destruir o seu sono

Nos dias de hoje a maioria das pessoas passa uma boa parte do seu tempo nas redes sociais, seja conferindo o Facebook, ou tirando fotos para por em seu Instagram. O problema é que este hábito pode não ser tão saudável. Segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Pittsburgh pessoas que usaram a mídia social fortemente eram tr&... Leia o artigo »

01/02/2016

Como o cortisol afeta o sono?

Estudar o corpo humano requer um olhar atento, que nos faz entender diversos processos que ocorrem em nosso organismo. A gente se depara com termos que causam familiaridade: certamente você já ouviu falar em cortisol. Qual seria afinal sua definição? O que fazer para baixar seus níveis? Como ele pode afetar o sono? Estas e outras dúvidas, com suas devidas r... Leia o artigo »

10/02/2021

Contar história para crianças ajuda a dormir?

Contos e fábulas infantis ainda sobrevivem. A hora de ninar proporciona um reencontro tradicional, entre crianças e personagens famosos, que saltam de páginas coloridas ou protagonizam narrativas contadas em tom carinhoso.  Uma pitada de fantasia nunca faz mal a ninguém, concorda? E hoje será o fim de mais uma dúvida. Buscaremos saber se estas saboros... Leia o artigo »

17/01/2020

Ler antes de dormir realmente ajuda?

Boas ideias acompanham o sono do leitor que, tradicionalmente, conserva um livro na cabeceira. Páginas físicas ou virtuais: o importante é ler! Sempre mexe com a imaginação conhecer heróis que resistem ao canto das sereias ou veem gigantes em moinhos de vento. Outros leitores, descompromissados, afirmam encontrar nas linhas de qualquer pará... Leia o artigo »

03/12/2018

Compartilhe

Preencha seus dados aqui e junte-se a 5473 pessoas e receba no seu email dicas para dormir melhor.

Sobre

Passamos em média 36% da nossa vida dormindo e sabemos que uma noite ruim de sono significa num dia não muito bom pela frente. Através da nossa loja e blog, nosso objetivo é ajudar você dormir melhor. Leia um pouco sobre nossa história.