'A melhor ponte entre desespero e esperança é uma boa noite de sono.' Joseph Cossman

O que é polissonografia?

Já falamos diversas vezes aqui sobre apneia do sono e como o exame de polissonografia é capaz de detectar o problema, mas nunca falamos sobre o que é, como funciona, como se preparar e o que esperar do exame de polissonografia que também é utilizado para identificar outros problemas além da apneia do sono como ronco, dispneia à noite, sonolência excessiva, sensação que o sono não recarrega as energias, problema de memória, hipertensão grave ou sono agitado [1].

Polissonografia ou exame do sono é um teste que registra as ondas cerebrais, o nível de oxigênio no sangue, frequência cardíaca e respiratória, bem como os movimentos dos olhos e das pernas para diagnosticar distúrbios do sono. Geralmente esse tipo de exame é feito durante a noite para que você durma na clínica ou hospital, e assim seu padrão de sono é gravado. Ocasionalmente também pode ser feito durante o dia para atender pessoas que trabalham durante a noite.

No início, o processo de monitoramento era feito pela obtenção de impulsos elétricos gerados pela atividade cerebral, atividade muscular e movimentação dos olhos. Com isto, o exame de polissonografia era capaz de monitorar seus estágios e ciclos de sono para identificar quando seu padrão de sono era perturbado.

Como já descrevemos nesse post, o processo de cair no sono começa com um estágio chamado de NREM (non-rapid eye moviment), durante esse estágio há uma redução nas ondas cerebrais como é registrado pelo eletroencefalograma (EEG). Seus olhos não se movem durante o estágio NREM, diferente do estágio que vem a seguir. Depois de uma ou duas horas de sono NREM, as atividades cerebrais começam a voltar e o estágio chamado de sono REM (rapid eye moviment) começa, é nesse estágio que ocorrem os sonhos mais vívidos. Normalmente passamos de quatro a seis ciclos por noite entre os sonos NREM e REM.

A figura abaixo mostra um exemplo de monitoramento realizado durante a polissonografia. Onde as 4 primeiras curvas, de cima para baixo, representam os eletrodos que medem a atividade cerebral, seguidas das curvas que medem a atividade ocular e dos músculos.

Figura 1: Sono NREM - estágio 1
Fonte: Monitorização de Polissonográfica – Aspectos Gerais

Com os avanços da ciência e, também, da tecnologia, outras variáveis passaram a serem medidas além dos impulsos elétricos. Como monitoramento respiratório, distúrbios de movimento e outros comportamentos anormais durante o sono.

Desta forma, o exame de polissonografia pode registrar diversas variáveis dependendo da suspeita clínica relacionada aos sintomas do paciente. Por exemplo, a suspeita de apneia do sono, narcolepsia, distúrbio periódico do movimento do membro ou síndrome da perna inquietas, transtorno do comportamento do sono REM e insônia crônica inexplicada [1].

Como me preparar para uma Polissonografia?

Para fazer a polissonografia, você deve evitar álcool e cafeína durante a tarde e a noite, pois, o álcool e cafeína podem afetar os padrões do sono e alguns distúrbios do sono. Sendo assim, ter esses produtos químicos em seu corpo pode afetar seus resultados. E um alerta! Você também deve evitar tomar sedativos [2].

E como sempre lembramos, é muito importante discutir quaisquer medicamentos que você está tomando com seu médico, principalmente se for o caso de parar de tomá-los antes do teste.

O que acontece durante uma Polissonografia?

Uma polissonografia tipicamente ocorre em um centro de sono especializado ou um hospital. A polissonografia começa à noite, cerca de duas horas antes da hora habitual de dormir. Assim, você irá dormir durante a noite no centro de sono, onde ficará em um quarto privado semelhante a um quarto de hotel. Você pode levar o que for necessário para sua rotina de dormir... Seu pijama, sua fronha de seda, livros entre outros.

O teste será administrado por um técnico, no qual estará monitorando você enquanto dorme. Esse mesmo técnico pode ver e ouvir o que acontece dentro do seu quarto. Além disso, você será capaz de ouvir e falar com o técnico durante a noite.

Durante a polissonografia o técnico medirá ondas cerebrais, movimentos oculares, atividade do músculo esquelético, frequência e ritmo cardíaco, pressão sanguínea, nível de oxigênio no sangue, padrões de respiração (incluindo ausência e pausas), posição do corpo, movimento dos ombros, ronco e outros ruídos.

Para a gravação dos dados, o técnico coloca pequenos sensores chamados “eletrodos” no couro cabeludo, peito e pernas. Além disso, usam-se cintos elásticos em torno do seu peito e estômago, onde seus movimentos no peito e respiração serão gravados. E por fim, um pequeno clipe em seu dedo monitora o nível de oxigênio do seu sangue.

Os sensores são conectados a fios finos e flexíveis que enviam seus dados para um computador. Em alguns centros de sono, o técnico pode configurar o equipamento para fazer uma gravação de vídeo. Isso permitirá que você e seu médico revisem as mudanças na sua posição corporal durante a noite. É provável que você não se sinta confortável num centro de sono como você se sentiria em sua própria casa. No entanto, isso não altera os dados, pois os resultados precisos da polissonografia normalmente não exigem uma noite de sono completa.

O exame envolve algum risco?

Não. A polissonografia é indolor e não invasiva, por isso é relativamente livre de riscos. O que se pode ter é uma leve irritação devido aos eletrodos à sua pele.

Resultado da Polissonografia

O resultado da polissonografia pode demorar cerca de três semanas. O técnico ficará responsável por compilar os dados da noite do seu sono. A partir disso, um médico do centro do sono analisará esses dados, além do seu histórico clínico e seu histórico de sono para fazer um diagnóstico.

O que acontece após uma Polissonografia?

Se receber o diagnóstico de algum distúrbio do sono, como por exemplo, a apneia do sono, o seu médico poderá recomendar a utilização de uma máquina de pressão positiva contínua nas vias aéreas (os aparelhos CPAP ou BiPAP). Esta máquina irá operar um funcionamento de ar constante para o seu nariz ou boca enquanto você dorme.

Portanto, o exame é uma técnica em evolução e vem sendo aprimorada a cada dia à medida que novos conceitos e novas tecnologias são incorporados e desenvolvidos [3].

Fontes e referências:
[1] http://www.mayoclinic.org/tests-procedures/polysomnography/basics/why-its-done/prc-20013229
[2] http://www.healthline.com/health/polysomnography#Results6
[3] BUSTAMANTE, Guilherme de Oliveira. Monitorização Polissonográfica - Aspectos Gerais. ASPECTOS GERAIS. 2006

Postado em Diversos no dia 06 de Maio de 2017 e última atualização dia 19 de Julho de 2018

Comentários

Leia também...

Suítes para casais que dormem separados viram tendência nos EUA

Um detalhe bastante peculiar está chamando a atenção do mercado imobiliário americano: casas de luxo com suítes master separadas estão caindo no gosto dos casais de Nova York. A ideia tem agradado homens e mulheres que não possuem os mesmos hábitos noturnos de seus pares, ou que simplesmente desejam fugir do padrão. Uma pesquisa feita ... Leia o artigo »

24/03/2017

6 óleos essenciais para dormir

Você certamente já passou noites sem dormir, virando de um lado para outro da cama, a mente não para, você simplesmente não consegue desconectar-se do mundo exterior, não consegue relaxar. Essas horas preciosas sairão muito caras para sua saúde, pois um sono de má qualidade, não reparador, tem efeitos devastadores a longo prazo. E... Leia o artigo »

01/11/2017

12 Problemas que podem causar suores noturnos

Médicos escutam com frequência alguns pacientes reclamarem de suores noturnos, isso se refere ao suor excessivo durante a noite, enquanto dormem. Se você dorme num quarto quente ou tem o costume de dormir com muitas roupas, é possível que esse suor noturno seja normal. Mas quem tem problema com suor enquanto dorme, geralmente é tanto que chegam a molhar os l... Leia o artigo »

02/05/2015