'Dez vezes ao dia deves saber vencer-te a ti mesmo; isto cria uma fadiga considerável.' Nietzsche (Zaratustra)

Mulheres que roncam têm maior inclinação a doenças cardíacas

Capa post - Mulheres que roncam têm maior inclinação a doenças cardíacas

Texto: Postado em Notícias e Estudos por Caio Cesar no dia 15 de Julho de 2019 .

Em comparação ao público masculino, mulheres que roncam ou têm apneia obstrutiva do sono (AOS) sofrem mais danos nas funções cardíacas. Testes mostram que, em geral, roncadores manifestam a presença de AOS, ainda que por sinais subjacentes.

Pesquisadores estudaram a função cardíaca tendo, como critério, o ronco e a AOS seguindo as informações apresentadas pela UK Biobank, que está disponível para estudiosos de todo o mundo.

Foram analisados os dados de 4.877 participantes do Reino Unido. Estas pessoas passaram por uma ressonância magnética cardíaca. Os referidos participantes foram divididos em três grupos: aqueles com AOS (118 pessoas), aqueles que roncam (1.886 pessoas) e aqueles que não portam AOS nem roncam (2.477 pessoas).

“Nossa análise mostrou que portadores de AOS e roncadores de todos os sexos apresentaram um aumento na massa do ventrículo esquerdo, e isso significa que as paredes da câmara de bombeamento principal do coração estão dilatadas, fazendo com que o coração trabalhe mais”, assegurou o principal autor do estudo, Adrian Curta, residente de radiologia no Hospital Universitário de Munich (Alemanha).

Os homens também não ficaram de fora do parecer de Adrian Curta, que acrescentou: “Também foi descoberto que os homens mostraram um aumento na fração de ejeção de ambos os ventrículos”.

Fonte:
https://www.sciencedaily.com/releases/2018/11/181129084708.htm

 

Comentários

Leia também...

Segundo pesquisa, 80% dos paulistanos têm dificuldade para dormir

Saiu na Veja SP (por Ana Carolina Soares): 80% dos paulistanos têm dificuldade para dormir. A tecnologia contribui para o aumento no índice, já que luz emitida por tablets e smartphones inibem a produção de hormônios que induzem ao sono. O epíteto de “cidade que não dorme” nunca foi tão adequado para São Paulo. H&... Leia o artigo »

20/08/2016

A insônia e suas diversas faces

Muitas pessoas acreditam que a insônia é um transtorno livre de qualquer pluralidade. Enganam-se! De acordo com os pesquisadores do Instituto Holandês de Neurociência [1], existem cinco tipos de insônia. O tipo nº1 gera forte influência sobre sentimentos negativos, como angústia ou depressão. Já os tipos nº2 e nº3 causam meno... Leia o artigo »

19/03/2019

É possível aprendermos enquanto dormimos?

Já imaginou se você pudesse aprender qualquer tema durante suas noites de sono? Que maravilhoso seria se pudéssemos aprender toda a matéria do semestre da faculdade durante uns poucos minutos de sono antes da prova. Bem, esta técnica chama-se "hipnopedia", e cientistas levaram essa ideia a sério e promoveram uma grande pesquisa a fim de encontrar uma r... Leia o artigo »

09/08/2018

Com a crise, insônia chega a atingir 50% da população

Renda reduzida, consumo menor e o fantasma do desemprego estão fazendo com que brasileiros passem noites em claro. Em tempos de turbulência, insônia pode atingir até 50% da população. Não adianta deixar o quarto escuro, desligar a televisão, rezar ou contar carneirinhos. A crise atual pela qual passa o Brasil tem prejudicado não só... Leia o artigo »

27/06/2016

Pouco sono é prejudicial a longo prazo

Descuidos no sono durante a meia-idade aumentam o estresse e a tensão, além de ser prejudicial à saúde depois na velhice, segundo Kathryn Doyle. De acordo com um estudo realizado na Finlândia, trabalhar longas horas e também reduzir as horas de sono podem provocar uma saúde mais debilitada a longo prazo. Durante 26 anos, diversos empresários f... Leia o artigo »

22/11/2016