'Um dia bem gasto traz um sono feliz.' Leonardo da Vinci

Pode a maconha tratar a Apneia do Sono?

Como sabemos, a apneia do sono é uma condição que diminui o fluxo respiratório ou provoca pausas na respiração durante o ciclo do sono, nas pessoas que sofrem desse distúrbio. Essa pausa respiratória pode levar de segundos até minutos. Já publicamos aqui no blog dezenas de posts sobre esse tema. Para reler ou conhecer mais sobre a apneia do sono, basta ler esse post. Hoje iremos focar em um assunto bastante inusitado, que já vem sendo pesquisado há algum tempo, porém ainda muito pouco divulgado: o uso da Cannabis (maconha) no tratamento da apneia do sono.

1 - Tratamentos eficazes

Comprovadamente, o tratamento mais comum e eficaz para a apneia do sono é o CPAP, pois ele mostra resultados bem satisfatórios em todos os níveis da condição - leve, moderada e grave. Porém, grande parte das pessoas se recusa a aderir a esse tratamento, com fortes resistências à sua utilização (Estudos mostram que de 46 a 83% dos pacientes simplesmente não prosseguem o tratamento com CPAP a longo prazo), o que tem sido um desafio para a descoberta de outras alternativas.

2 - Terapias

Diversas terapias alternativas estão disponíveis para ajudar no tratamento. A terapia com remédios é uma delas. Porém, existem poucas opções disponíveis e nem todas as pessoas podem fazer uso desses medicamentos. Portanto, o uso de remédios à base de maconha passou a ser considerado para tratar a apneia do sono, após os resultados satisfatórios de algumas pesquisas. Vamos conhecê-las?

3 - Pesquisas

Vários estudos foram realizados com o extrato da maconha e seus efeitos na apneia do sono, revelando descobertas bastante positivas. Uma pesquisa realizada em 2002 pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, documentou os efeitos dos Canabinoides THC e oleamida em ratos. Os resultados mostraram que tanto o THC (tetrahidrocanabinol, principal substância psicoativa da planta) quanto a oleamida estabilizaram a respiração dos animais em todos os estágios do sono, diminuindo os índices de apneia nos estágios do sono NREM (Non rapid eyes moviment) e REM (Rapid eyes moviment) em 42% e 58%, respectivamente.

3.1 - Estudos em humanos

Em 2013, o médico Dr. David Carley publicou os resultados da primeira experiência com seres humanos, que investigou os efeitos do THC (dronaminol) sobre a apneia do sono. O pesquisador administrou doses variáveis de canabinol (2, 5 e 10mg) em 17 voluntários em um período de 3 semanas, antes de eles dormirem. Os resultados mostraram uma redução no índice geral de apneia de 32%, desconsiderando as variações significativas entre os pacientes.

Embora o resultado de 32% seja menor quando comparado à efetividade dos outros tratamentos, como a CPAP e os aparelhos bucais, os autores da pesquisa sugerem que os medicamentos à base de canabinoides podem ser benéficos aos pacientes que sofrem de apneia leve a moderada. Além disso, observou-se que a redução foi proporcional à dose administrada, tanto nos testes pré-clínicos quanto nos testes clínicos - o que significa que é possível que maiores taxas de redução sejam alcançadas, com doses maiores de canabinoides.

4 - Como a maconha ajuda na apneia do sono?

  • Ajuda a estabilizar a respiração;
  • O componente ativo utilizado é seguro e bem tolerado pelos pacientes (THC);
  • O THC reduz a apneia do sono através da ação dos receptores de canabinoides localizados no sistema nervoso periférico;
  • O THC aumenta a força muscular das vias aéreas durante o sono; ao fortalecer o músculo, diminui a perda muscular das vias respiratórias (muito provavelmente a causa da apneia, segundo os especialistas).

5 - Reconhecimento

O Dr. David Carley ganhou um incentivo de R$15 milhões do Instituto Americano de Saúde, para prosseguir os estudos e realizar novos testes clínicos. Se os mesmos resultados forem comprovados, comprimidos de THC - conhecido como dronaminol, podem estar disponíveis muito em breve também para os pacientes que sofrem de apneia do sono - esses medicamentos à base de maconha já estão disponíveis no mercado para o tratamento de náuseas e vômitos, em pacientes de quimioterapia e para o aumento de apetite e do peso das pessoas que sofrem da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS).

Portanto, fica a torcida para que os pacientes da Apneia do Sono também possam utilizar esse tratamento! Ficaremos aguardando os próximos resultados dos estudos. Para acompanhar todas as novidades, leia sempre nosso blog e assine a nossa newsletter!

Fontes e referências
[1]https://www.leafscience.com/2013/02/16/can-marijuana-treat-sleep-apnea/ 
[2]https://cannabis.net/blog/medical/why-cannabis-works-so-well-for-sleep-apnea
[3]https://herb.co/2015/07/24/can-marijuana-treat-sleep-apnea/

Postado em Apneia do Sono e Estudos no dia 27 de Outubro de 2017 e última atualização dia 19 de Julho de 2018

Comentários

Leia também...

Perder peso é o melhor tratamento para apneia do sono

De fato, aparelhos CPAP e BiPAP continuam sendo o tipo de tratamento mais efetivo e com alívio já no primeiro dia para quem sofre de apneia obstrutiva do sono, porém, a ACP (American College of Physicians) dá ênfase que modificações no estilo do vida - especialmente a perda de peso - continua sendo o melhor tratamento para apneia obstrutiva do sono. ... Leia o artigo »

31/05/2016

O que fazer hoje para evitar a apneia do sono?

Obter um diagnóstico e descobrir que você tem apneia do sono pode ser assustador, mas é uma condição com diversos tipos de tratamentos, até para o tipo mais grave de apneia do sono, a complexa. Para evitar e até diminuir a intensidade da apneia do sono, existem diversas coisas que você pode fazer hoje para se ajudar, principalmente se você... Leia o artigo »

08/03/2015

Pode o ronco ou a apneia do sono causar mau hálito?

Muitas pessoas que sofrem de mau hálito também costumam roncar, e grande parte das pessoas que roncam também são acometidas pela halitose (mau hálito). A partir dessa constatação, objeto de muitos estudos e pesquisas científicas, fica a seguinte pergunta: O ronco e a apneia do sono podem realmente causar mal hálito? Segundo algumas pes... Leia o artigo »

20/10/2017