'Dormir bem é viver bem.' Dorminhoco.com

Saiba o que é o lagoftalmo noturno

Capa post - Saiba o que é o lagoftalmo noturno

Texto: Postado em Curiosidades por Caio Cesar no dia 08 de Maio de 2019 .

Alguma vez você já deve ter se perguntado: "Seria possível dormir com os olhos abertos?" De fato é uma dúvida comum, que possui uma resposta afirmativa e pode estar relacionada a uma doença chamada lagoftalmo noturno.

Nesse artigo, apresentaremos sua definição, sintomas, causas e outras informações que têm tudo a ver com este fenômeno ainda desconhecido por diversas pessoas.

Boa leitura!

1 - O que é o lagoftalmo?

O lagoftalmo é uma doença nada comum, que impede os olhos de se fecharem completamente. Se este fenômeno costuma acontecer durante o sono, podemos chamá-lo de lagoftalmo noturno. Logo, conclui-se que sim, é possível dormir com os olhos abertos – quem diria, não?

É uma enfermidade que não coloca a vida em risco, embora os olhos fiquem vulneráveis a qualquer dano. Também é importante saber que o próprio lagoftamo pode ser considerado o sintoma de alguma doença grave, o que faz indispensável visitar um médico se você tem dificuldades para fechar os olhos ou sente grande incômodo ao piscá-los.

2 - Sintomas

Como já é sabido: o principal sintoma desta doença é a incapacidade de fechar os olhos. Assombra-nos constatar que diversas pessoas possuem lagoftalmo noturno, mas ainda nem se deram conta disso – é provável que você seja uma delas.

O que, então, fazer para identificar sua existência? Podemos nos guiar através de duas características, ou seja, aumento de lágrimas e sensação de um corpo estranho nos olhos, como se houvesse a presença de um cisco constante, além de dor e irritação na vista durante a manhã seguinte.

3 - Causas

Neste tópico, abordamos um ponto relevante. Inúmeras causas podem desencadear o lagoftamo. Os fatores responsáveis dividem-se em duas categorias.

A primeira categoria está relacionada ao nervo facial, que controla os movimentos das pálpebras. Diversos motivos podem prejudicar o referido nervo, e são eles:

  • Lesão (seja por trauma contuso ou corte profundo)
  • Acidente vascular encefálico
  • Tumores (neuromas acústicos, em especial)
  • Síndrome de Möbius
  • Síndrome de Guillain-Barré

A segunda categoria tem a ver com pálpebras danificadas, sendo reflexo dos seguintes problemas:

  • Síndrome da pálpebra flácida
  • Cicatrizes ocasionadas por queimaduras
  • Olhos salientes ou afundados
  • Condições que exigem tratamento médico, como a síndrome de Stevens-Johnson
  • Ferimentos

4 - Diagnóstico da causa

Em primeiro lugar, seu médico investigará seu histórico clínico e realizará exames físicos para investigar a causa do lagoftalmo. Durante a consulta, é indispensável informar seu médico, deixando-o ciente sobre lesões ou infecções.

Testes também serão realizados durante a consulta. Exemplo: seu médico pedirá para que você olhe para baixo enquanto fecha (ou tenta fechar) os olhos. Também será medido, com uma régua, o espeço entre suas pálpebras, incluindo o registro de quantas vezes você pisca. Por último, a quantidade de força que você usa para fechar os olhos é uma constatação que revelará se seu nervo facial é o verdadeiro o responsável pelo lagoftalmo.

Outro exame é a famosa lâmpada de fenda. É um procedimento realizado com o auxílio de um microscópio, no qual há uma luz brilhante de alta intensidade que possibilita examinar os olhos do paciente.

5 - Opções de tratamento

5.1 - Tratamentos cirúrgicos

Através do método cirúrgico, pode-se implantar pesos de ouro que farão com que os olhos se fechem graças à atuação gravitacional. Além disso, é realizável mudar a posição da pálpebra inferior ou superior.

Em outros casos, levando em conta o lagoftalmo gerado por condições temporárias, seu médico poderá realizar a tarsorrafia. É uma técnica que costura, de modo parcial ou total, as pálpebras, a ponto de deixá-las unidas temporariamente. Parece ser um método inusitado ou até mesmo doloroso, mas manter os olhos fechados é um jeito de protegê-los contra qualquer dano além da própria doença que os mantém abertos. 

A tarsorrafia pode ser permanente se a doença responsável pelo lagoftalmo levar um bom tempo para sarar. Porém, o médico deixará na própria costura uma pequena abertura para que o paciente possa enxergar. Passado a doença, o médico aumentará a abertura, o que ampliará o campo de visão do operado. 

Atenção! A tarsorrafia pode deixar sequelas: a presença de cicatrizes permanentes.

Quadros clínicos mais graves, acarretados pela paralisação do nervo facial, certamente exigirão procedimentos delicados, como métodos que envolvem reanimação facial e/ou a transferência de nervos e músculos.

Busque cumprir os requisitos pós-cirúrgicos exigidos pelo seu médico para haver uma boa recuperação. 

5.2 - Tratamentos não cirúrgicos

Os tratamentos que não são feitos através de processos cirúrgicos cuidam dos sintomas do lagoftamo. Em tais métodos, aplica-se nos olhos lágrimas artificiais ao longo do dia, para que não permaneçam secos nem sintam ardência. Também é válido aplicar certo tipo de unguento que possa proteger a córnea.

Tratando-se de lagoftamo noturno, existem óculos especiais. Eles são úmidos e mantêm os olhos hidratados durante o sono. Usar um umidificador é outra opção considerável, mantendo-o próximo enquanto você dorme. Até disponibilizamos um artigo onde falamos sobre como os umidificadores de ar podem favorecer nossas noites de sono.

Contudo, pode haver sugestões por parte de seu médico, como incluir pequenos pesos de ouro sobre as pálpebras a fim de mantê-las fechadas ou a utilização de cinta cirúrgica – outro método que pode ajudar bastante.

6 - Falta de tratamento (complicações)

O lagoftamo, quando não tratado, deixa seus olhos totalmente vulneráveis. Assim, eles podem sofrer arranhões e outros ferimentos.

Olhos abertos além do “normal” podem ser prejudicados pela ceratopatia, cujos sintomas são bem semelhantes aos do lagoftamo. A ceratopatia pode causar danos eventuais, como úlceras ou inchaço na córnea.

7 - Considerações finais

Como dito no início do artigo, o lagoftalmo não coloca a saúde em risco, mas pode desenvolver sérios problemas oculares. Durante suas visitas ao médico, busque descobrir a doença por trás do lagoftalmo. Você tratará o lagoftamo através de procedimentos ou produtos que hidratam os olhos de acordo com a causa principal.

Referência bibliográfica:
https://www.healthline.com/health/eyelid-disorders/lagophthalmos#complications

Comentários

Leia também...

15 Mitos sobre o sono revelados

Por mais de 2.500 anos, o sono vem sendo estudado e, mesmo assim, sabemos muito pouco sobre suas razões, causas e efeitos. Apenas no século passado cientistas começaram a estudar afundo sobre a psicologia do sono. Em 1928, a eletroencefalografia (EEG) foi usada pela primeira vez para gravar a atividade cerebral durante o sono. Mais recentemente, a ressonância magné... Leia o artigo »

09/02/2014

A influência da idade no sono: O que fazer em cada época da vida?

No decorrer da vida nosso corpo e nossa mente passam por diversas mudanças conforme envelhecemos. Seja na passagem para a infância, para a adolescência, na vida adulta ou na velhice, cada etapa apresenta seus próprios desafios biológicos, sociais e psicológicos. Um fator que muda em cada estágio e que tem sido alvo de diversas pesquisas é o son... Leia o artigo »

23/06/2017

Por que pessoas idosas dormem pouco?

Costuma-se dormir até tarde aos domingos – fato. Mas toda regra tem lá sua exceção: margem que serve de lugar comum para as pessoas acima dos 60 e poucos anos. Elas são as primeiras a saírem da cama. Afirmam dormir pouco e nós cremos à medida que escutamos o arrastar dos chinelos à noite inteira. A gente sabe que a ins&... Leia o artigo »

11/04/2019

Overdose de melatonina, é possível?

Todo consumo feito em excesso pode colocar a saúde em risco. Cá entre nós: não se trata de uma grande novidade, porém (a fim de esclarecer dúvidas e orientar nossos leitores) hoje nosso artigo parte da seguinte questão: overdose de melatonina, é possível? Se você está curioso para saber, explore os próximos paragr&a... Leia o artigo »

23/01/2019

Por que atletas precisam de uma excelente noite de sono?

Ter uma medalha olímpica é uma grande motivação para inúmeros atletas. Sem demora, eles priorizam uma rotina pesada de treino, cuja base não vai além da boa e velha disciplina. Isto inclui esforço constante a fim de superar limites, poucas horas de lazer, manutenção dos materiais utilizados no treino, alimentação r... Leia o artigo »

14/09/2018