'Dez vezes ao dia deves saber vencer-te a ti mesmo; isto cria uma fadiga considerável.' Nietzsche (Zaratustra)

Genes que regulam o quanto sonhamos

Capa post - Genes que regulam o quanto sonhamos

Texto: Postado em Estudos e Notícias por Mateus no dia 05 de Setembro de 2018 .

O sono é um comportamento universal e extremamente vital para os animais. Em vertebrados superiores, como mamíferos e aves, o sono é classificado em duas fases: sono de movimento rápido dos olhos (REM, no qual ocorre os sonhos) e sono não REM. Durante o sono REM, nosso cérebro é tão ativo quanto quando estamos acordados, ao passo que acredita-se que é nesse estágio do sono que ocorre a consolidação da memória.

Um estudo promovido pela Universidade de Tóquio identificou dois genes essenciais que estão envolvidos na regulação do sono REM. As pesquisas foram realizadas em ratos, nos quais, quando removidos ambos os genes, o tempo de sono REM diminuiu drasticamente para níveis quase indetectáveis. Este estudo foi publicado pela Cell Reportsem em agosto deste ano.

Para este estudo, os pesquisadores usaram ferramentas de manipulação genética de última geração a fim de se modificar os genes dos camundongos e conduzir uma espécie de “triagem genética” para se descobrir quais os genes, quando removidos, causariam anormalidades no sono. Por fim, depois de muitas tentativas, os cientistas descobriram que a perda de dois receptores – denominados Chrm1 e Chrm3 – resultava em um perfil de sono muito mais curto.

Os cientistas observaram que a retirada do Chrm1 reduziu e fragmentou drasticamente o sono REM, enquanto que a eliminação do Chrm3 reduziu a duração do sono não REM. Quando ambos os genes foram eliminados, os ratos praticamente não tinham o sono REM, contudo, sobreviviam mesmo assim.

Essas descobertas indicam claramente que esses dois receptores são essenciais para a regulação do sono, especialmente do sono REM. Com esse estudo, os cientistas afirmam que poderão estudar mais sobre os distúrbios do sono e formular mais tratamentos a fim de se combater esses quadros que ainda são um campo misterioso no meio científico.

Fonte:
https://www.sciencedaily.com/releases/2018/08/180828172055.htm

Comentários

Leia também...

Mudanças no padrão de sono das crianças geram grandes impactos

Um estudo publicado na revista Pediatrics constatou que um pequeno aumento no tempo de descanso das crianças pode melhorar significativamente o comportamento delas, ao passo que a diminuição desse tempo pode causar o efeito inverso. Esse novo estudo é a primeira investigação controlada dos efeitos do aumento e redução do sono no comportamento... Leia o artigo »

02/10/2018

Falta de sono pode causar enxaqueca diz estudos

Se você sofre com enxaqueca, talvez seja necessário prestar mais atenção no seu sono. Vários estudos mostraram que problemas no sono como insônia, apneia do sono, ronco podem ser o gatilho para crises de enxaqueca. A enxaqueca é causada quando as células nervosas hiperativas enviam impulsos para os vasos sanguíneos, fazendo os vasos se c... Leia o artigo »

28/03/2015

Mulheres com hábitos diurnos têm menos depressão

Uma experiência científica feita com mais de 32.000 enfermeiras, publicada no Journal of Psychiatric Research, tornou-se a maior e mais detalhada experiência observacional já promovida até agora. Tal pesquisa teve, como objetivo, explorar a ligação entre o cronotipo das mulheres e os transtornos de humor. Apesar de levar em consideraç... Leia o artigo »

10/08/2018

Genes que regulam o quanto sonhamos

O sono é um comportamento universal e extremamente vital para os animais. Em vertebrados superiores, como mamíferos e aves, o sono é classificado em duas fases: sono de movimento rápido dos olhos (REM, no qual ocorre os sonhos) e sono não REM. Durante o sono REM, nosso cérebro é tão ativo quanto quando estamos acordados, ao passo que acredita... Leia o artigo »

05/09/2018

Soneca pode ajudar a recuperar o sono perdido

Um estudo descobriu que uma soneca à tarde talvez reduza os danos causados pela falta de sono à noite. Aparentemente, sonecas durante a tarde podem ajudar a restaurar hormônios e proteínas envolvidas no estresse e no bom funcionamento do sistema imunológico. O estudo incluiu 11 homens saudáveis com idades entre 25 - 32 anos. Os pesquisadores deixaram os vol... Leia o artigo »

23/02/2015