'Por bons sonhos e belas noites de sono.' Dorminhoco.com

Crianças que veem televisão dormem menos

Capa post - Crianças que veem televisão dormem menos

Texto: Postado em Notícias e Estudos por Caio Cesar no dia 15 de Julho de 2019 .

Crianças em idade pré-escolar, que passam maior parte do tempo diante da televisão, dormem pouco. Comparando-as àquelas que não têm esse hábito (ou veem pouca televisão), nota-se uma larga diferença no padrão de sono.

Esta constatação tem sido analisada pela área de neurociência da Universidade de Massachusetts. Ainda conforme o parecer dos especialistas [1], 36% das crianças entre 3 – 5 anos de idade possuíam televisão no quarto; um terço desses meninos e meninas costumavam dormir com a TV ligada. 

O estudo em questão, publicado pela Sleep Health, indica que o uso excessivo de televisão diminui a qualidade do sono em crianças pequenas. Este costume também afeta a duração do próprio sono, afinal de contas, também o diminui consideravelmente. 

As crianças envolvidas nesse experimento passaram pela Actigrafia: processo no qual o paciente carrega no pulso um aparelho semelhante a um relógio. Constatou-se, também, que as crianças que viam mais televisão cochilavam mais durante o dia, hábito que não compensava o sono perdido à noite.

Porém, é um problema que pode ser resolvido. A solução começa a partir do momento em que os pais tomam consciência e entendem que a televisão não é útil para manter as crianças pequenas adormecidas.

Certos adultos até creditavam que a TV era útil para tranquilizar seus filhos, mas não imaginavam o quanto isso era prejudicial ao descanso noturno. Cabe a estes responsáveis se informarem acerca daquilo que pode melhorar o sono destas crianças.

Fonte:
https://www.sciencedaily.com/releases/2019/05/190514110316.htm

Comentários

Leia também...

Segundo pesquisa, 80% dos paulistanos têm dificuldade para dormir

Saiu na Veja SP (por Ana Carolina Soares): 80% dos paulistanos têm dificuldade para dormir. A tecnologia contribui para o aumento no índice, já que luz emitida por tablets e smartphones inibem a produção de hormônios que induzem ao sono. O epíteto de “cidade que não dorme” nunca foi tão adequado para São Paulo. H&... Leia o artigo »

20/08/2016

Reconhecendo e diagnosticando AOS em idosos

Recentemente, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Michigan promoveu um estudo inédito tendo como objetivo medir quantos idosos sofrem com a Apneia Obstrutiva do Sono, bem como, a frequência com que os profissionais de saúde tratam esses idosos. Os cientistas recolheram as informações disponibilizadas pelo National Health and Ageing Trends Study (NHATS),... Leia o artigo »

21/08/2018

Mulheres que roncam têm maior inclinação a doenças cardíacas

Em comparação ao público masculino, mulheres que roncam ou têm apneia obstrutiva do sono (AOS) sofrem mais danos nas funções cardíacas. Testes mostram que, em geral, roncadores manifestam a presença de AOS, ainda que por sinais subjacentes. Pesquisadores estudaram a função cardíaca tendo, como critério, o ronco e a ... Leia o artigo »

15/07/2019

Apple aposta na monitorização do sono

A gigante da tecnologia com sede em Cupertino, Califórnia, adquiriu a Beddit, fabricante de hardware e software de monitoramento do sono, segundo uma mensagem postada no site da empresa de capital fechado com sede na Finlândia. Não foi revelado o preço de compra e uma porta-voz da Apple preferiu não comentar. A Beddit vende uma tira com sensor a US$ 150 que pode s... Leia o artigo »

12/05/2017

As horas de sono seriam a chave para o tratamento da depressão?

A medicação é uma importante parte no tratamento de pacientes com transtorno depressivo maior (ou major depressive disorder, em inglês), mas o início do uso de antidepressivos nem sempre é tranquilo. Pode-se levar até 6 semanas para que uma pessoa responda à farmacoterapia e, ainda assim, a taxa de remissão (quando o transtorno deixa de... Leia o artigo »

26/10/2016