'Mentes cansadas não planejam bem. Durma primeiro, planeje depois.' Dalai Lama

Os benefícios de suplementar ZMA

Capa post - Os benefícios de suplementar ZMA

Texto: Postado em Suplementos e Curiosidades por Caio Cesar no dia 03 de Janeiro de 2019 e última atualização dia 17 de Janeiro de 2019 .

A indústria farmacêutica disponibiliza uma infinidade de suplementos. Talvez você ainda não conheça o ZMA, tão cobiçado por quem pratica esportes e deseja alcançar um desempenho atlético invejável. Nesse artigo, apresentaremos sua definição, benefícios e possíveis riscos. São informações baseadas em linhas de pesquisa e tudo aquilo que fará você conhecê-lo melhor.

Boa leitura!

1 - O que é o ZMA?

ZMA é um complemento mineral. Sua composição reúne zinco, vitamina B6 e magnésio. Cada um desses elementos oferece efeitos que fazem bem ao corpo humano. O magnésio, por exemplo, atua no metabolismo, melhora a qualidade do sono e tonifica a saúde muscular. Já a vitamina B6 pode agir como energético. Por último, o zinco fortalece o sistema imunológico e os próprios músculos.

Em 2000 [1], estudiosos realizaram um teste com um grupo de jogadores de futebol. Nesse experimento, os atletas, que se exercitavam duas vezes ao dia, fizeram uso do suplemento ZMA durante sete semanas. Como resultado, encontraram uma mudança significativa, na qual houve o aumento de testosterona e do hormônio responsável pelo crescimento (aspectos fisiológicos relacionados ao desenvolvimento muscular). Contudo, um dos pesquisadores envolvidos nessa pesquisa possuía o registro da fórmula original do ZMA, visto que sua companhia também financiou os referidos estudos e experimentos.

No entanto, outros estudos [1] não conseguiram comprovar a eficácia do ZMA no desempenho esportivo, levando em consideração a performance atlética e a perda de peso. Porém, mais fontes informativas nos apontam possíveis benefícios possibilitados pelo ZMA. Que tal conferi-los nos próximos parágrafos?

2 - Os benefícios de suplementar ZMA

2.1 - Maior desempenho esportivo e força

Uma pesquisa [2], que analisou os efeitos gerados pelos três componentes do ZMA, constatou mudanças hormonais (anabólicas e catabólicas) significativas! Notou-se, também, alteração na composição corporal e maior resistência na parte inferior do corpo. Nesse caso, houve a participação de 42 esportistas.  

Outras pesquisas realizaram análises individuais, nas quais ainda é necessário efetuar mais estudos e aprofundamento a fim de constatar o verdadeiro efeito desse suplemento. Contudo, conclui-se que é preciso mais pesquisa para, então, comprovar a eficácia do ZMA em relação ao desempenho esportivo.

Também foi realizado um estudo [2] com 23 triatletas. Em consequência, o suplemento com magnésio deu a eles maior velocidade nas três categorias esportivas: natação, ciclismo e corrida. Os níveis de zinco no sangue também se mostraram estar correlacionados ao excelente desempenho esportivo de 21 jogadores de futebol, que participaram de uma série de exercícios utilizando um aparelho cicloergômetro, além medir o nível de ácido láctico no sangue.

Foi descoberto, através de mais uma pesquisa [2] com 30 adultos saudáveis, que suplementar magnésio em uma rotina de treino que envolva artes marciais poderá aumentar a quantidade de 2 tipos de glóbulos vermelhos, melhorando o desempenho do lutador. Aliás, o referido efeito também ocorreu a partir da suplementação de zinco.

2.2 - Níveis de testosterona mais altos

Fontes de pesquisa [2] confirmaram que suplementar ZMA aumentou os níveis de testosterona em 27 jogadores de futebol, que não possuíam nenhuma deficiência nutricional. No entanto, suplementar ZMA (30mg de zinco, 450mg de magnésio e 11mg de vitamina B6) não elevou os níveis de testosterona em pacientes saudáveis. Outro estudo [2] não constatou mudanças significativas nos níveis hormonais de atletas em plena forma.

Ao analisar ratos que tinham deficiência de zinco na corrente sanguínea, notou-se baixo nível de testosterona. O organismo desses mesmos animais se mostrou mais sensível ao estrogênio (receptor que dá origem aos hormônios sexuais femininos) e menos sensível ao androgênio (receptor que dá origem aos hormônios sexuais masculinos).

Em um estudo [2] que analisou células da pele humana, o zinco bloqueou a atividade de uma proteína que decompõe a testosterona, em especial quando combinada com a vitamina B6.

2.3 - Age contra o TDH

TDH significa transtorno do déficit de atenção com hiperatividade. Alguns meios investigativos sugerem que o TDH presente em crianças pode estar associado a uma deficiência nutricional, como a falta de zinco e magnésio.

Os níveis suplementares de zinco (15mg/duas vezes ao dia) favorecem o efeito da medicação aplicada em crianças com TDH. Em outro experimento [2], meninos e meninas com TDH, que receberam zinco (15mg/dia), diminuíram os sintomas relacionados à hiperatividade, ao comportamento impulsivo e à dificuldade de socialização, embora nenhuma mudança positiva houve no déficit de atenção.

Mais uma pesquisa [2] constatou que o magnésio, o zinco e os ácidos graxos poliinsaturados diminuíram os problemas de déficit de atenção e hiperatividade em 810 crianças. A combinação entre magnésio e vitamina B6 mostrou eficácia no combate contra os distúrbios relacionados ao TDH em crianças.

2.4 - Aumenta a imunidade

Certa pesquisa [2], feita com 153 crianças que receberam a suplementação de zinco (10mg/duas vezes ao dia), constatou diminuição no tempo de duração da febre em meninos. Porém, o mesmo não aconteceu em meninas. É válido destacar que essas crianças sofriam de infecção respiratória inferior grave. Essa mesma suplementação de zinco também reduziu a frequência da infecção respiratória durante seis meses em um teste feito com 609 crianças.

Um estudo [2], que abordou micronutrientes, identificou que o zinco e a vitamina B6 (entre outros nutrientes) são importantes para a função imunológica. No mais, a deficiência de vitamina B6 diminuiu a produção de glóbulos vermelhos em ratos, e isso mostra o quanto é importante para manter o sistema imunológico saudável.

2.5 - Diminui o estresse

Fazer uso de suplementos que levam magnésio diminui o nível de cortisol (“hormônio do estresse”) e outro hormônio que atende pelo nome de aldosterona. O referido efeito foi constatado em nove homens saudáveis após atividades físicas. Estudantes de medicina também participaram do teste, de maneira que também diminuíram o nível de cortisol. Constatou-se que pessoas ansiosas possuem baixo nível de zinco na corrente sanguínea.

Atenção! Embora os referidos experimentos tenham sinalizado resultados positivos, mais pesquisas são necessárias para comprovar a eficácia do suplemento abordado nesse artigo.

2.6 - Reduz o cansaço pós-treino

Aqui, o zinco é o grande responsável por diminuir a indisposição pós-treino, fator percebido a partir de um teste feito com dez participantes cujo estilo de vida era sedentário. Contudo, obteve-se o mesmo resultado ao analisar dez praticantes de artes marciais. Não diferente, após a prática de lutas, a suplementação com magnésio gerou uma queda nos níveis de TSH (hormônio relacionado à tireoide).

2.7 - Proporciona um sono reparador

O ZMA auxilia o corpo e a mente. Se seu organismo está carente de aminoácidos, provavelmente você sentirá um impacto negativo durante os treinos e competições, como menos resistência física, a ponto de abalar a qualidade do sono, mantendo seu ciclo desregulado. O ZMA pode ser a solução para eliminar estes dois problemas. Esse suplemento, após cada treino, fará com que seu corpo tenha a devida recuperação, sentindo-se mais jovem e fortalecido e, em consequência, auxiliando as glândulas suprarrenais através de um sono profundo e reparador. Dormir bem é essencial para o rendimento de qualquer atleta, pois estimula pensamentos positivos e a sensação de bem-estar.

3 - Os perigos do ZMA

3.1 - Mal-estar digestivo e sintomas gastrointestinais

É importante saber que tanto o zinco quanto o magnésio, quando consumidos em excesso, podem causar os seguintes sintomas: náuseas, incômodos digestivos e vômito. Fontes de informação [3] afirmam que o consumo diário de zinco pode fazer mal aos rins e estômago.

Atenção! Para que não haja os efeitos colaterais mencionados acima, é aconselhável tomar as doses recomendadas de ZMA.

3.1 - Câncer de próstata

De acordo com um artigo publicado pelo Natural Medicine Journal, em 2017, consumir diariamente mais de 100mg de zinco pode duplicar o risco de câncer de próstata. Um estudo publicado na revista Metallomics afirma que o zinco pode fazer com que as células cancerígenas se tornem resistentes aos processos quimioterápicos, o que diminui as chances de recuperação. Outros estudos afirmam que consumir zinco diminuem a possibilidade de desenvolver câncer de próstata.

Nesse tópico, tomando como referência a revista Natural Medicine Journal, percebemos que essas descobertas são contraditórias. Nota-se que o zinco, presente em uma alimentação regrada, funciona tal qual proteção contra o câncer de próstata, embora o consumo de zinco em altas doses possibilita o surgimento dessa mesma doença. Cabe a nós observar que a maioria dos estudos incluiu grandes doses de zinco, algo totalmente diferente em comparação à quantidade presente no suplemento ZMA.  

4 - Considerações finais

Quase todas as marcas de ZMA oferecem zinco, magnésio e vitamina B6 em doses pequenas e, assim, é bem provável que você não sinta efeitos colaterais. Porém, o suplemento ZMA ainda pode interagir com outros medicamentos, interferindo seu efeito. O ZMA não é aconselhável às pessoas que possuem uma saúde debilitada!

Lembre-se de que o zinco, quando presente no organismo, pode interagir com antibióticos e diuréticos. O magnésio é capaz de reduzir a absorção de digoxina, bifosfonato, gabapentina e certos medicamentos usados para tratar a diabetes e a pressão arterial alta. Também não é indicado suplementar ZMA com anticoagulantes, pois essa combinação dificultará a anulação do sangramento. A vitamina B6 interage com 35 medicamentos, a incluir aspirina, ibuprofeno, Prozac e suplementos dietéticos.

Em geral, pessoas saudáveis não sofrem efeitos colaterais ao fazer uso de ZMA. É indispensável consultar o profissional responsável pela sua saúde antes de consumir o suplemento apresentado nesse artigo. Ao adquiri-lo, não se esqueça de ler as instruções do fabricante e, em caso de dúvida, peça a orientação de alguém profissionalmente capacitado.

Referências bibliográficas:
[1] https://www.webmd.com/vitamins-and-supplements/zma-supplements#1
[2] https://www.selfhacked.com/blog/zma-supplement/
[3] https://www.livestrong.com/article/276087-the-dangers-of-zma/
[4]https://thebiostation.com/bioblog/lifestyle/the-anabolic-and-sleep-benefits-of-bminerals-zma/

Comentários

Leia também...

Países desenvolvidos têm maior demanda por suplementos de melatonina

Devido à grande procura por suplementos de melatonina em nossa loja, resolvemos compartilhar nesse post esse artigo exclusivo recentemente publicado pela revista Sleep Review Magazine. A previsão dos analistas da Technavio é que o mercado global de suplementos de melatonina aumente a uma taxa de crescimento anual composta de mais de 12% de 2017 a 2021, conforme relatóri... Leia o artigo »

03/10/2017

Os benefícios de suplementar ZMA

A indústria farmacêutica disponibiliza uma infinidade de suplementos. Talvez você ainda não conheça o ZMA, tão cobiçado por quem pratica esportes e deseja alcançar um desempenho atlético invejável. Nesse artigo, apresentaremos sua definição, benefícios e possíveis riscos. São informaç&otil... Leia o artigo »

03/01/2019

Os benefícios de suplementar ômega 3

A natureza é uma fonte inesgotável de proteínas. Uma delas é o ômega 3, que pode ser consumido em forma de capsula (suplemento) ou por meio de alimentos. O ômega 3 oferece benefícios imperdíveis. Que tal conhecê-los melhor neste artigo? Aqui, também apresentaremos sua definição e outras informações escla... Leia o artigo »

15/11/2018