'Um dia bem gasto traz um sono feliz.' Leonardo da Vinci

É possível aprendermos enquanto dormimos?

Capa post - É possível aprendermos enquanto dormimos?

Texto: Postado em Notícias e Estudos por Mateus no dia 09 de Agosto de 2018 .

Já imaginou se você pudesse aprender qualquer tema durante suas noites de sono? Que maravilhoso seria se pudéssemos aprender toda a matéria do semestre da faculdade durante uns poucos minutos de sono antes da prova. Bem, esta técnica chama-se "hipnopedia", e cientistas levaram essa ideia a sério e promoveram uma grande pesquisa a fim de encontrar uma resposta para essa pergunta: É possível aprendermos enquanto dormimos?

Um estudo feito por um grupo de pesquisadores na Universidade Livre de Bruxelas descobriu que a nossa capacidade de aprendizado durante o sono pode ser possível, apesar de bem limitada, durante a fase do sono de ondas lentas (um estágio do sono no qual a atividade cerebral é altamente sincronizada). Testes feitos por magnetoencefalografia (técnica de mapeamento da atividade cerebral por meio da detecção do campo magnético produzido por correntes elétricas que existem no nosso cérebro) mostraram que o nosso cérebro é capaz de perceber e até mesmo de reagir a sons durante o sono, contudo, ele é incapaz de agrupar esses sons de acordo com sua organização numa sequência. Ou seja, nosso cérebro reage aos estímulos exteriores quando isolados, embora não consiga interpretá-los e traduzi-los de maneira coesa quando agrupados.

Um estudo publicado em 06 de agosto na revista Scientific Reports por pesquisadores do Instituto de Neurociência da ULB mostrou que, embora o nosso cérebro seja capaz de continuar percebendo os sons durante o sono, a capacidade de agrupar e interpretar esses sons de acordo com a organização em apenas uma sequência está presente apenas na fase da vigília, desaparecendo por completo durante o sono profundo.

Ainda durante o sono profundo, os resultados do magnetoencefalografia demonstraram que cérebro detecta os sons isolados, porém, nenhuma resposta à exposição de sons em conjuntos. Todavia, durante a vigília, todos os participantes apresentaram respostas cerebrais quando expostos aos mesmos conjuntos de sons.

Por conclusão, os resultados desse estudo sugerem que há limites intrínsecos na fase do sono de ondas lentas, limitando completamente a capacidade de aprendizagem do cérebro adormecido a meras associações simples e elementares.

Fonte: https://neurosciencenews.com/sleep-learning-9668/

Comentários

Leia também...

Com a crise, insônia chega a atingir 50% da população

Renda reduzida, consumo menor e o fantasma do desemprego estão fazendo com que brasileiros passem noites em claro. Em tempos de turbulência, insônia pode atingir até 50% da população. Não adianta deixar o quarto escuro, desligar a televisão, rezar ou contar carneirinhos. A crise atual pela qual passa o Brasil tem prejudicado não só... Leia o artigo »

27/06/2016

Reconhecendo e diagnosticando AOS em idosos

Recentemente, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Michigan promoveu um estudo inédito tendo como objetivo medir quantos idosos sofrem com a Apneia Obstrutiva do Sono, bem como, a frequência com que os profissionais de saúde tratam esses idosos. Os cientistas recolheram as informações disponibilizadas pelo National Health and Ageing Trends Study (NHATS),... Leia o artigo »

21/08/2018

Mulheres que roncam têm maior inclinação a doenças cardíacas

Em comparação ao público masculino, mulheres que roncam ou têm apneia obstrutiva do sono (AOS) sofrem mais danos nas funções cardíacas. Testes mostram que, em geral, roncadores manifestam a presença de AOS, ainda que por sinais subjacentes. Pesquisadores estudaram a função cardíaca tendo, como critério, o ronco e a ... Leia o artigo »

15/07/2019

A insônia e suas diversas faces

Muitas pessoas acreditam que a insônia é um transtorno livre de qualquer pluralidade. Enganam-se! De acordo com os pesquisadores do Instituto Holandês de Neurociência [1], existem cinco tipos de insônia. O tipo nº1 gera forte influência sobre sentimentos negativos, como angústia ou depressão. Já os tipos nº2 e nº3 causam meno... Leia o artigo »

19/03/2019

Protetores auriculares podem impedir a perda auditiva

Determinado estudo [1], publicado pela JAMA Otolaryngology-Head & Neck Surgery, analisou a efetividade dos protetores auriculares em situações de perda auditiva temporária logo após o contato com música alta. É um fenômeno prejudicial que vem crescendo a cada ano. Pesquisas realizadas nos Estados Unidos evidenciaram o aumento de 31% na taxa ... Leia o artigo »

15/05/2019