'Por bons sonhos e belas noites de sono.' Dorminhoco.com

É possível aprendermos enquanto dormimos?

Já imaginou se você pudesse aprender qualquer tema durante suas noites de sono? Que maravilhoso seria se pudéssemos aprender toda a matéria do semestre da faculdade durante uns poucos minutos de sono antes da prova. Bem, esta técnica chama-se "hipnopedia", e cientistas levaram essa ideia a sério e promoveram uma grande pesquisa a fim de encontrar uma resposta para essa pergunta: É possível aprendermos enquanto dormimos?

Um estudo feito por um grupo de pesquisadores na Universidade Livre de Bruxelas descobriu que a nossa capacidade de aprendizado durante o sono pode ser possível, apesar de bem limitada, durante a fase do sono de ondas lentas (um estágio do sono no qual a atividade cerebral é altamente sincronizada). Testes feitos por magnetoencefalografia (técnica de mapeamento da atividade cerebral por meio da detecção do campo magnético produzido por correntes elétricas que existem no nosso cérebro) mostraram que o nosso cérebro é capaz de perceber e até mesmo de reagir a sons durante o sono, contudo, ele é incapaz de agrupar esses sons de acordo com sua organização numa sequência. Ou seja, nosso cérebro reage aos estímulos exteriores quando isolados, embora não consiga interpretá-los e traduzi-los de maneira coesa quando agrupados.

Um estudo publicado em 06 de agosto na revista Scientific Reports por pesquisadores do Instituto de Neurociência da ULB mostrou que, embora o nosso cérebro seja capaz de continuar percebendo os sons durante o sono, a capacidade de agrupar e interpretar esses sons de acordo com a organização em apenas uma sequência está presente apenas na fase da vigília, desaparecendo por completo durante o sono profundo.

Ainda durante o sono profundo, os resultados do magnetoencefalografia demonstraram que cérebro detecta os sons isolados, porém, nenhuma resposta à exposição de sons em conjuntos. Todavia, durante a vigília, todos os participantes apresentaram respostas cerebrais quando expostos aos mesmos conjuntos de sons.

Por conclusão, os resultados desse estudo sugerem que há limites intrínsecos na fase do sono de ondas lentas, limitando completamente a capacidade de aprendizagem do cérebro adormecido a meras associações simples e elementares.

Fonte: https://neurosciencenews.com/sleep-learning-9668/

Postado em Notícias e Estudos no dia 09 de Agosto de 2018

Comentários

Leia também...

Fabricantes de dilatadores nasais de olho na terapia complementar

Nas recentes feiras de medicina do sono, dilatadores e tiras nasais de venda livre (que não precisam de receita médica) tem chamado a atenção dos profissionais, desde médicos especialistas na ciência do sono até dentistas. Os dilatadores nasais não têm aprovação para tratar diretamente a apneia obstrutiva do sono, mas em co... Leia o artigo »

15/11/2017

Reconhecendo e diagnosticando AOS em idosos

Recentemente, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Michigan promoveu um estudo inédito tendo como objetivo medir quantos idosos sofrem com a Apneia Obstrutiva do Sono, bem como, a frequência com que os profissionais de saúde tratam esses idosos. Os cientistas recolheram as informações disponibilizadas pelo National Health and Ageing Trends Study (NHATS),... Leia o artigo »

21/08/2018

Apple aposta na monitorização do sono

A gigante da tecnologia com sede em Cupertino, Califórnia, adquiriu a Beddit, fabricante de hardware e software de monitoramento do sono, segundo uma mensagem postada no site da empresa de capital fechado com sede na Finlândia. Não foi revelado o preço de compra e uma porta-voz da Apple preferiu não comentar. A Beddit vende uma tira com sensor a US$ 150 que pode s... Leia o artigo »

12/05/2017